Crise não impede Prefeitura de Feira de Santana de transferir, antecipadamente, R$ 27,9 milhões para empresas de transporte público do município

Edital da Prefeitura Municipal de Feira de Santana autorizado transferência, antecipada, R$ 27,9 milhões para o setor privado.

Edital da Prefeitura Municipal de Feira de Santana autorizado transferência, antecipada, R$ 27,9 milhões para o setor privado.

A Prefeitura Municipal de Feira de Santana publicou, em 12 de novembro de 2016, edital de inelegibilidade de licitação de n° 751-2016-051, referente ao Processo Administrativo n° 1630/2016. O edital permite que a Secretaria Municipal de Administração adquira créditos eletrônicos de transporte público no valor de R$ 27,9 milhões, com a finalidade de atender os servidores do município pelo período de 48 meses. A publicação é assinada pelo prefeito José Ronaldo (DEM) e tem parecer favorável do procurador-geral do Município Cleudson Santos Almeida.

O que causa indignação na operação é observar que a economia do país atravessa severa crise econômica, sendo penalizada a classe trabalhadora, enquanto a administração municipal de Feira de Santana, em uma atitude de beneplácito e sem qualquer vínculo com práticas decentes e ou adequadas de administração, transfere milhões de reais para empresas privadas, de uma única fez, quando poderia fazê-lo a cada seis meses.

Observa-se que existe, na administração municipal, um completo desrespeito no tocante ao interesse público e a boa gestão dos recursos municipais. Observa-se, também, como recursos públicos são destinados ao setor privado sem o menor pudor ético e em desrespeito aos princípios da Teoria Geral da Administração.

Leia +

Prefeitura de Feira de Santana contesta matéria do JGB e diz que “não há pagamento antecipado, nem de uma só vez, em aquisição de vale-transporte eletrônico pelo município”

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).