Síntese do acidente que vitimou a delegação do Chapecoense na Colômbia; 71 morreram e 6 sobreviveram; confira relação de nomes

Homenagem do Jornal Grande Bahia em memória das 71 vítimas do acidente aéreo da delegação do Chapecoense.

Homenagem do Jornal Grande Bahia em memória das 71 vítimas do acidente aéreo da delegação do Chapecoense.

Sobreviventes do acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Sobreviventes do acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Membros tripulação mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Membros tripulação mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Profissionais da imprensa mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Profissionais da imprensa mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Membros da delegação do Chapecoense mortos no acidente do voo 2933.

Membros da delegação do Chapecoense mortos no acidente do voo 2933.

Membros da delegação do Chapecoense mortos no acidente do voo 2933.

Membros da delegação do Chapecoense mortos no acidente do voo 2933.

Membros da delegação do Chapecoense mortos no acidente do voo 2933.

Membros da delegação do Chapecoense mortos no acidente do voo 2933.

Jogadores mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Jogadores mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Jogadores mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Jogadores mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Jogadores mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Jogadores mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

81 pessoas estariam no voo 2933, da empresa Lamia com destino a Medellín, Colômbia, mas quatro passageiros não embarcaram. Havia 77 pessoas a bordo, sendo 7 tripulantes e 70 passageiros. Os passageiros eram compostos por 48 membros delegação da Chapecoense, que disputariam a final da Copa Sul-Americana; 21 jornalistas; e 1 convidado.

Após o trágico acidente com o avião, ocorrido na madrugada de terça-feira (29/11/2016), nas imediações da montanha El Gordo, localizada na jurisdição do município de La Unión, 71 pessoas morreram e 6 foram resgatadas com vida: 3 jogadores, 1 jornalista e 2 tripulantes. As informações são de autoridades da aeronáutica colombiana.

O percurso do time

A equipe da Chapecoense saiu do Brasil pelo aeroporto de Guarulhos às 15h15 em um voo comum da Boliviana de Aviación rumo a Santa Cruz de La Sierra. De lá, embarcou no voo da Lamia para Medellín. A ideia inicial era que a equipe embarcaria direto no voo da Lamia de Guarulhos para a Colômbia, mas a operação não foi permitida pela Anac, a agência responsável brasileira, porque “o acordo com a Bolívia, país originário da companhia aérea, não prevê operações como a solicitada”, informou por nota a ANAC.

O avião do acidente

O avião do acidente é um Avro Regional Jet 85, com 17 anos de uso, de propriedade da companhia LaMia, venezuelana de origem que opera na Bolívia, que transportava a delegação da Chapecoense que se dirigia a Medellín, na Colômbia, para disputar nesta quarta-feira a primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional. A companhia frequentemente transporta equipes de futebol

Onde foi a tragédia

O acidente aconteceu nas imediações de uma montanha El Gordo, na jurisdição do município de La Unión, no departamento de Antioquia (noroeste da Colômbia). O local é próximo do aeroporto José María Córdova de Medellín, situado no município vizinho de Rionegro

As causas do acidente estão sendo investigadas

De acordo com a conta de Twitter ligada ao aeroporto de Medellín, a tripulação do Avro Regional Jet 85 se comunicou com a torre por volta das 22h (horário da Colômbia) reportando falhas elétricas. No caminho do voo, foi reportado mau tempo

Possíveis causas do acidente

Foram encontradas as duas caixas pretas, que devem oferecer melhor panorama do que aconteceu. A hipótese mais plausível é de que o combustível tenha acabado, o que teria provocado uma falha elétrica total. A comissária de bordo que sobreviveu disse aos socorristas que lembra apenas que as luzes do avião começaram a se apagar progressivamente.

O que está sendo discutido é por que o avião não teve ou não solicitou autorização imediata para pousar, mas foi direcionado para dar duas voltas em um perímetro próximo ao aeroporto, enquanto outra aeronave, procedente do Panamá, que havia anunciado uma perda de combustível, obteve prioridade para o pouso imediato.

Peritos em segurança aeronáutica consultados pela imprensa colombiana opinaram que é inexplicável esse tipo de avião ter sido usado para cobrir uma distância de 2.265 km, distância entre Santa Cruz de la Sierra e o aeroporto José María Córdoba. Segundo eles, esse é quase o limite de autonomia de voo desse tipo de aeronave.

A saúde dos sobreviventes

O estado de saúde dos seis sobreviventes ainda é delicado, especialmente dos três jogadores. O lateral Alan Ruschel sofreu traumatismo na coluna e já passou por uma cirurgia bem-sucedida. O goleiro Jackson Follman teve uma perna amputada, após ter dado autorização aos médicos para o procedimento. O estado de saúde do zagueiro Hélio Neto, que sofreu um traumatismo craniano, é o mais grave.

O jornalista Rafael Henzel, a comissária de bordo Ximena Suárez e o técnico da aeronave Erwin Tumiri estão em condições mais estáveis, porém com ferimentos graves. Tumiri contou à equipe de resgate que conseguiu salvar a própria vida seguindo os procedimentos de segurança indicados. Ele disse que ficou em posição fetal com uma mala entre as pernas, mas que muitos passageiros, com o nervosismo do momento, haviam ficado em pé.

Relatos sobre o acidente

O governador de Antioquia (departamento cuja capital é Medellín), Luis Pérez, contou à imprensa colombiana que conversou com a auxiliar de voo Ximena Suárez no hospital. “O pouco que ela falou foi que luzes começaram a se apagar repentinamente e que 40 ou 50 segundos depois sentiu a pancada. Ela se lembra até aí.”

“Ajude-nos! Ajude-nos!” Um tripulante de uma companhia aérea contou que ouviu a comunicação entre o avião que levava a delegação da Chapecoense e a torre de controle do aeroporto de Medellín e que o piloto do Avro RJ85 da LaMia pediu ajuda desesperadamente, segundo a Rádio Caracol, da Colômbia.

O piloto teria solicitado prioridade de pouso por conta de problemas de combustível. “Solicitamos prioridade para proceder, solicitamos prioridade para proceder ao localizador, temos problemas de combustível”, teria dito o piloto Miguel Quiroga.

O piloto da LaMia decretou situação de emergência. “Agora temos uma falha elétrica, temos uma total falha elétrica”.

Ximena Suárez, aeromoça da companhia aérea e uma das sobreviventes da tragédia, afirmou que sua única lembrança foi o apagar das luzes dentro da aeronave. “As luzes se apagaram e não lembro mais de nada”, disse para a secretária de governo do departamento de Antioquia, Victoria Eugenia Ramírez, ao ser resgatada.

O jornalista Rafael Henzel, a comissária de bordo Ximena Suárez e o técnico da aeronave Erwin Tumiri estão em condições mais estáveis, porém com ferimentos graves. Tumiri contou à equipe de resgate que conseguiu salvar a própria vida seguindo os procedimentos de segurança indicados. Ele disse que ficou em posição fetal com uma mala entre as pernas, mas que muitos passageiros, com o nervosismo do momento, haviam ficado em pé.

Não embarcaram no voo

Alguns atletas da Chapecoense não viajaram com a equipe. A lista inclui os seguintes jogadores: Neném, Demerson, Marcelo Boeck, Andrei, Hyoran, Martinuccio, Nivaldo e Rafael Lima. Eles não vinham sendo utilizados pelo treinador Caio Júnior. Entre todo o time, o goleiro Nivaldo é o mais antigo  do elenco e está no grupo desde que a equipe estava na Série D.

O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, também não estava no voo. Ele estava na lista como convidado do clube para a viagem à Colômbia. Mais dois integrantes da lista, Rodrigo Ernesto e Pablo Castro, também não estavam na aeronave. Ambos cuidam da logística do time, chegaram antes e estavam no aeroporto para o receptivo.

Os quatro que não embarcaram são o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon; o presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense, Plínio David de Nes Filho; o presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), Gelson Merisio (PSD); e o jornalista da rádio Super Condá, de Chapecó, Ivan Carlos Agnoletto.

O prefeito embarcaria junto com a equipe, mas decidiu ficar na capital paulista para uma reunião na manhã de hoje para tratar de parcerias público-privadas para Chapecó e pediu para que o presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense, Plínio David de Nes Filho, também ficasse para acompanhá-lo.

Mundo inteiro de luto

O mundo do futebol está de luto, e vários times do planeta prestaram homenagens às vítimas. Na Colômbia, o clima é de consternação total. Os governos nacional e local têm mobilizado muitas pessoas para ajudar no resgate e na identificação dos corpos, nas buscas no local do acidente e no atendimento aos familiares que estão chegando ao país.

Por sua vez, o Atlético Nacional, time contra o qual a Chapecoence iria disputar a final da Copa Sul-Americana, pediu à confederação de futebol para dar o título ao clube da cidade de Chapecó, como uma homenagem aos  que morreram no acidente.

Nesta quinta-feira (1°), haverá um tributo de toda a torcida do Nacional no Estádio Atanasio Girardot, onde deveria ocorrer o jogo entre os dois times, na primeira partida da final do campeonato.

Lista oficial de passageiros do voo da Chapecoense

Sobreviventes

Alan Ruschel
Jackson Ragnar Follmann
Rafael Hensel
Ximena Suárez
Erwin Tumir
Hélio Zampier Neto

Morreram no acidente

-Atletas:

Danilo
Gimenez
Bruno Rangel
Marcelo Augusto
Lucas Gomes
Sergio Manoel
Felipe Machado
Matheus Biteco
Cleber Santana
William Thiego
Tiaguinho
Josimar
Dener Assunção
Gil
Ananias
Kempes
Arthur Maia
Mateus Caramelo
Aílton Canela

– Comissão técnica:

Caio Júnior
Duca
Pipe Grohs
Anderson Paixão
Anderson Martins
Anderson Donizete (Cocada)
Marcio Koury
Gobbato
Serginho Luiz Ferreira Jesus
Adriano
Cleberson Silva
Maurinho
Cadu
Chinho di Domenico
Sandro Pallaoro
Luis Cezar Martins Cunha
Giba Pace Tomás

– Diretoria:

Nilson Folle Júnior
Decio Burtet Filho
Edir de Marco
Ricardo Porto
Mauro dal Bello
Jandir Bordignon
Dávi Barela Dávi

– Convidado:

Delfim Peixoto Filho

– Imprensa:

Victorino Chermont
Rodrigo Gonçalves
Devair Paschoalon
Lilacio Júnior
Paulo Clement
Mario Sergio Paiva
Guilherme Marques
Ari Júnior
Guilherme Laars
Giovane Klein
Bruno Silva
Djalma Neto
André Podiacki
Laion Espindula
Renan Agnolin
Fernando Schardong
Edson Ebeliny
Gelson Galiotto
Douglas Dorneles
Jacir Biavatti

-Tripulação

Ovar Goytia
Miguel Quiroga
Sisy Arias
Rommel Vacaflores
Alex Quispe
Gustavo Encina
Angel Lugo

*Reportagem produzida com informações da Agência Brasil, G1, Folha, Estadão e agências governamentais.

Confira imagens

Loading Images
wpif2_loading
Aeronave da LaMia
Acidente que vitimou a delegação do Chapecoense.
Acidente que vitimou a delegação do Chapecoense.
Acidente que vitimou a delegação do Chapecoense.
Dados do acidente que vitimou a delegação do Chapecoense
Homenagem do Jornal Grande Bahia ao Chapecoense
Logomarca da Associação Chapecoense de Futebol (ACF)
Jogadores mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.
Jogadores mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.
Jogadores mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.
Membros da delegação do Chapecoense mortos no acidente do voo 2933.
Membros da delegação do Chapecoense mortos no acidente do voo 2933.
Membros da delegação do Chapecoense mortos no acidente do voo 2933.
Números da tragédia em que morreram 71 pessoas no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.
Profissionais da imprensa mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense
Sobreviventes do acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense
Membros tripulação mortos no acidente do voo 2933, em que era transportada a delegação do Chapecoense.

Outras publicações

Delegado alerta para cuidados durante compras online Consumidor deve observar critérios ante de realizar compras online. Se você juntou dinheiro o ano inteiro para aproveitar as ofertas da Black Friday...
Brasil terá banco para armazenar material biológico Para orientar a indústria farmacêutica na fabricação de remédios e ajudar nas pesquisas científicas, o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização ...
Cientista político Bruno Reis: escândalos de corrupção geraram um enfraquecimento geral do sistema partidário Presidente de honra do PT e ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Para o cientista político Bruno Reis, PT foi o mais punido, mas esc...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br