Poluição: 92% da população global respiram ar inadequado, alerta OMS

A OMS alerta que as principais fontes de poluição do ar incluem modelos ineficientes de transporte.

A OMS alerta que as principais fontes de poluição do ar incluem modelos ineficientes de transporte.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou na terça-feira (27/09/2016) que 92% da população global vivem atualmente em áreas onde os níveis de qualidade do ar ultrapassam os limites mínimos estabelecidos pela entidade.

Os dados integram o mais completo relatório global já divulgado pela organização sobre zonas de perigo para poluição do ar, com base em informações de medições por satélite, modelos de transporte aéreo e monitores de estação terrestre de mais de 3 mil localidades rurais e urbanas.

Poluição atmosférica e saúde

A estimativa é que cerca de 3 milhões de mortes ao ano estejam ligadas à exposição à poluição externa do ar. A poluição interna do ar, entretanto, aparenta ser igualmente perigosa já que, em 2012, em torno de 6,5 milhões de mortes estavam associadas à poluição interna e externa juntas.

De acordo com a OMS, quase 90% das mortes relacionadas à poluição do ar são registradas em países de baixa e média renda, sendo que quase dois em cada três óbitos foram contabilizados no sudeste da Ásia e em regiões ocidentais do Pacífico.

Ainda segundo o relatório, 92% das mortes são provocadas por doenças não comunicáveis, sobretudo doenças cardiovasculares, derrame, doença obstrutiva pulmonar crônica e câncer de pulmão. A poluição do ar também aumenta os riscos de infecções respiratórias graves.

“A poluição do ar continua prejudicando a saúde das populações mais vulneráveis – mulheres, crianças e adultos de mais idade”, disse a diretora-geral adjunta da organização, Flavia Bustreo. “Para que as pessoas sejam saudáveis, elas precisam respirar ar limpo do primeiro ao último suspiro”, completou.

Fontes de poluição

A OMS alerta que as principais fontes de poluição do ar incluem modelos ineficientes de transporte; combustível doméstico e queima de resíduos; usinas de energia movidas a carvão; e atividades industriais em geral.

“Para enfrentar a poluição do ar, é preciso agir o mais rápido possível”, defendeu a diretora do Departamento de Saúde Pública e Determinantes Ambientais e Sociais de Saúde da OMS, Maria Neira.

“As soluções existem por meio do transporte sustentável nas cidades, da gestão de resíduos sólidos, do acesso a combustíveis domésticos limpos e fogões, bem como de energias renováveis e da redução de emissões industriais”, concluiu Maria.

Outras publicações

Justiça mantém embargo de fazenda sem licenciamento ambiental em Barreiras MPF manifestou-se a favor da manutenção do embargo, realizado pelo Ibama em 2008. Acompanhando manifestação do Ministério Público Federal (MPF) em Bar...
Vídeo produzido pela ONU presta homenagem ao ‘Dia Internacional da Democracia’ Vídeo produzido pela ONU utiliza a letra da música 'Imagine'. O Departamento de Informação Pública da ONU produz vídeo em homenagem ao 'Dia Internac...
Condema emite resolução requerendo que Município de Feira de Santana aplique medidas de proteção das nascentes do Parque da Lagoa do Geladinho Resolução do Condema requerendo proteção para as nascentes do Parque da Lagoa do Geladinho. O Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Feira...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br