Operação Hidra de Lerna: Bancada do PT na Alba repudia ação deflagrada pela Polícia Federal e diz que campanhas eleitorais do partido transcorreram na legalidade

Bancada do PT na Alba repudia ação deflagrada pela Polícia Federal.

Bancada do PT na Alba repudia ação deflagrada pela Polícia Federal.

Em nota, emitida hoje (04/10/2016), a Bancada do Partido dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) protestou contra a Operação Hidra de Lerna, realizada pela Polícia Federal. Na avaliação da Bancada, a operação foi “desnecessária e desastrada”, e “resultou em um desperdício de dinheiro público com toda a pirotecnia da operação que envolveu mais de 20 policiais federais para levar documentos já conhecidos do Poder Judiciário”.

A Bancada afirma que as contas das campanhas eleitorais vinculadas ao Partido dos Trabalhadores foram apresentadas à justiça eleitoral e encontram-se acessíveis a qualquer cidadão.

A Operação Hidra de Lerna foi deflagrada pela Polícia Federal na terça-feira (04/10/2016) com a finalidade de investigar possível prática de financiamento ilegal de campanhas políticas na Bahia, através de esquemas de fraudes em licitações e contratos no Ministério das Cidades.

Confira a ‘Nota Oficial da Bancada do Partido dos Trabalhadores na Bahia’

A Bancada do Partido dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa da Bahia repudia, veementemente, a ação deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira, 4, na sede do Partido no bairro do Rio Vermelho. A PF realizou uma operação de busca e apreensão com um mandado genérico, inespecífico e desacompanhado da decisão que determinou a sua expedição. A Operação Hidra de Lerna investiga supostas contratações irregulares ocorridas em outros estados da federação, sendo assim desnecessária e desastrada a ação ocorrida na Bahia e na sede da agremiação.

Em nenhum momento o Partido dos Trabalhadores e seus dirigentes negaram o acesso da Polícia Federal ou do Poder Judiciário aos documentos arrecadados. Até porque todos estão encartados no processo de prestação de contas e são acessíveis por qualquer cidadão ou cidadã.

Toda a contratação de empresa para a campanha de 2014 pelo Partido dos Trabalhadores e seus candidatos foi regular, legal e legitima. Não pairando sobre essas nenhuma dúvida ou descrença que pudesse justificar a ação policial violenta, que se traduziu como fino espírito de um estado de exceção que abala as instituições democráticas.

Toda ação resultou em um desperdício de dinheiro público com toda a pirotecnia da operação que envolveu mais de 20 policiais federais para levar documentos já conhecidos do Poder Judiciário, além de prejuízos patrimoniais ao Partido dos Trabalhadores com desnecessários arrombamentos de portas, tumultuando a ação do partido nas eleições de 2016.

Dessa forma, a Bancada do PT na Assembleia Legislativa da Bahia permanecerá vigilante a toda e qualquer ação que busque criminalizar os partidos e as organizações que lutam pela soberania do povo brasileiro.

Outras publicações

Ex-presidente Dilma Rousseff assume cargo em conselho da Fundação Perseu Abramo A presidente Dilma e o deputado Valmir Assunção durante ato contra o golpe. A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) estará no conselho curador da Fundaç...
Deputado Alan Sanches critica falta de alguns equipamentos do HGE2 Fachada do Hospital Geral do Estado 2 (HGE2). Através de ofício de número 09/2016, o deputado estadual Alan Sanches (DEM), baseado na lei de transpa...
ALBA: Líder da Oposição denuncia convênios não executados Sandro Régis diz que obras não foram executadas no prazo determinado pelo contrato. No final do primeiro semestre de 2014, o governo de Jaques Wagne...

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.