Municípios baianos se destacam na produção agrícola

Algodão é uma das culturas agrícolas em expansão na Bahia.

Algodão é uma das culturas agrícolas em expansão na Bahia.

O plantio de algodão de São Desidério – maior produtor da fibra no País –, localizado no oeste baiano, garantiu ao município, pelo segundo ano consecutivo, a liderança no ranking dos municípios brasileiros com maior valor da produção agrícola em 2015. A produção agrícola individual de São Desidério, somando o valor total das colheitas, incluídos grãos e outros produtos, chegou a R$ 2,8 bilhões no ano passado, o que representou um aumento de 23,2% em relação à colheita de 2014.

O algodão é responsável por 52,9% do valor produzido no município. Em seguida, vem a soja, com 39,6%, garantido a São Desidério a quarta posição na produção do grão no país. O dado faz parte da pesquisa anual Produção Agrícola Municipal – Culturas Temporárias e Permanentes elaborada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que investiga 63 produtos da agricultura nacional, com dados para Brasil, grandes regiões, estados e municípios.

Esses números, que, junto com outros municípios baianos – como Formosa do Rio Preto, oitavo no ranking nacional, Barreiras (17º), Luís Eduardo Magalhães (20º), Correntina (26º) e Riachão das Neves (42º) –, colocam a região oeste da Bahia em destaque nacional são frutos de intensa ação do Estado na área, segundo o governador Rui Costa. Ele lembra que o oeste baiano, ao longo dos anos, vem expandindo sua fronteira agrícola e ocupando a liderança na produção nacional de grãos, seja com o aumento da área plantada, seja na modernização e no avanço tecnológico empregado nas lavouras.

“Essa evolução é fruto do forte investimento em modernização e tecnologia empregados, proporcionando aumento de produtividade, além da vocação agropecuária que a região também possui. O Governo do Estado, através da Secretaria de Agricultura, vai continuar trabalhando em parceria com o setor produtivo para que, não só São Desidério, mas toda a Bahia continue se destacando no agronegócio”, disse o governador.

Escoamento da produção

Na avaliação de Rui Costa, um dos desafios para a continuidade da pujança agrícola da região é a logística de escoamento da produção.  “Temos a expectativa de conclusão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL) e a construção do Porto Sul, que serão de fundamental importância para o desenvolvimento econômico do oeste da Bahia e de todo o Estado, dando à região vantagem competitiva, já que a logística encarece o valor da produção”, reconhece ele.

E a perspectiva para consolidar a FIOL está sendo costurada pelos governos estadual e federal. O modelo de negócio discutido pelo Estado junto aos investidores chineses e ao governo federal para a continuidade da construção da FIOL foi aprovado. A obra, agora, é uma das prioridades do Programa de Parcerias de Investimento (PPI) lançado pelo governo federal.

Além de atender aos requisitos impostos pelo governo federal, o modelo foi discutido em março passado pelo governador Rui Costa, em uma missão à China, e aprovado também pela China Railway Engeneering Group n.10 (Crec 10). Em outubro será apresentada uma proposta de modelagem ao vice-presidente da Crec 10 durante visita do grupo de investidores à Bahia, seguida pela realização de licitação que viabilizará a retomada das obras da FIOL e do Porto Sul, que acontecerão em paralelo. A ferrovia terá extensão de 1.527 km, sendo 1.100 km na Bahia e capacidade para transportar 65 milhões de toneladas por ano.

Incentivos 

O governo baiano vem implementando uma série de instrumentos de política agrícola destinados a desenvolver o agronegócio no Estado, com ênfase principalmente na região do MATOPIBA – última fronteira agrícola em expansão do país, compreendida entre os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Nessa região, estão os principais municípios produtores de grãos da Bahia, como São Desidério, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, Formosa do Rio Preto, e outros.

Dentre esses instrumentos, vale destacar o Programa de Incentivo à Cultura do Algodão – Proalba, cuja prorrogação foi autorizada em julho passado pelo governador Rui Costa, com validade até o final de 2017; o Fundo para o Desenvolvimento do Agronegócio do Algodão – Fundeagro; e o Programa para o Desenvolvimento da Agropecuária – Prodeagro.

O Proalba concede incentivo de até 50% do ICMS devido sobre a comercialização do algodão no mercado interno, desde que o produtor atenda aos requisitos tecnológicos, fitossanitários e de qualidade estabelecidos pelo programa. Deste incentivo, 10% são destinados ao Fundeagro, que promove a realização de pesquisas e difusão tecnológicas, ações de defesa fitossanitária e de marketing, com vistas à promoção da fibra baiana nos mercados nacional e internacional.

Matopiba

São Desidério faz parte da microrregião de Barreiras, e está inserido no território do MATOPIBA. Entre 1973 e 2011, a produção de grãos no MATOPIBA saltou de 2,5 milhões de toneladas para mais de 12,5 milhões. Dos 8,068 milhões de toneladas de grãos produzidos pela Bahia, na safra 2014/2015, estima-se que 90% foram oriundos dos municípios que compõem o território do MATOPIBA, ou seja, aproximadamente 7,261 milhões de toneladas.

Outras publicações

Senador Walter Pinheiro defende expansão da energia eólica na matriz nacional Walter Pinheiro: “Estamos falando de algo que começou ontem, e, quando olhamos para a Bahia, os investimentos chegam a 25 de bilhões de reais. Me ref...
Governador Rui Costa destaca convênio com 113 prefeituras com a finalidade de garantir alfabetização de mais de 100 mil pessoas Governador Rui Costa comenta sobre convênios com as prefeituras como forma de melhorar os indicadores educacionais do município. Na semana em que fo...
Governador Rui Costa reforça na Itália parceria para produção de próteses na Bahia Governador Rui Costa durante visita à fábrica da Bioimpianti. Mais um passo foi dado nesta quinta-feira (15/10/2015), em Milão, na Itália, para a co...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br