Salvador teve mais de 40 mil denúncias de som alto de janeiro a agosto de 2016

Clarice Saba é otorrinolaringologista, vencedora do X Jack Vernon Award.

Clarice Saba é otorrinolaringologista, vencedora do X Jack Vernon Award.

De janeiro a agosto deste ano, foram feitas 40.795 denúncias de poluição sonora em Salvador, de acordo com a Sucom (Secretaria Municipal de Urbanismo). O número de queixas é 30,8% maior do que o mesmo período do ano passado. Para a Delegada da Sociedade Brasileira de Otologia, a otorrinolaringologista Clarice Saba, o excesso de barulho deve ser encarado como um problema de saúde pública. “Ruídos altos podem lesar a audição, causar zumbido, perfurar o tímpano e até gerar perda auditiva irreversível”, diz.

Membro da OMB

Bahia (Ordem dos Médicos do Brasil), Clarice explica que, apesar do barulho incomodar bastante quem está nos arredores, a audição de quem está no local do som alto é a mais prejudicada. “O ouvido tem um tempo de exposição suportável ao barulho, a depender da intensidade. Quem está mais próximo à caixa de som, por exemplo, está mais suscetível à lesão. Se o local for fechado, como o carro ou na boate, é ainda pior, pois o som é pressão sonora e reverbera nas paredes”, esclarece.

De acordo com a legislação (Lei 5.354/98), o limite para som e ruído em Salvador é de 70 decibéis (dB), das 7h às 22h, e de 60 dB, entre 22h e 7h. “Uma conversa em tom mais alto tem cerca de 60 dB. Isso significa que, se depois das 22h, você estiver num local que seja necessário falar mais alto para ser ouvido, você deve se preocupar: o som provavelmente está mais alto do que a média suportada pelas orelhas e sua audição pode ser prejudicada”, orienta Clarice Saba.

Caso o indivíduo tenha zumbido ou dor de ouvido, o indicado é evitar novo contato com o barulho, fazer um repouso auditivo e procurar ajuda profissional. Quem trabalha em locais barulhentos deve ter cuidado redobrado e utilizar protetores auriculares. Além dos danos auditivos, a exposição contínua ao barulho pode causar alteração de humor e agravar problemas cardiovasculares, hipertensão, depressão, etc.

Denúncia

Para denunciar poluição sonora, é necessário ligar para a Sucom, pelo número 156. Quem for flagrado pelo órgão com o som alto pode receber uma notificação, autuação e até ter o equipamento do som apreendido. A multa varia de acordo com os decibéis, entre R$ 813 e R$ 135 mil reais.

Outras publicações

Produção baiana de base florestal é destaque no Salão Internacional da Fenagro Produção baiana de base florestal é destaque. Apresentações sobre a economia, inovações tecnológicas e a cultura da Finlândia, e discussões referent...
Termo ‘esquema’ é citado em documento do Cremeb referente a denúncia de médico de Feira de Santana Capa do volume 1 dos autos do processo nº 000127-2016, do Cremeb. Escala de serviço do setor de anestesia do HGCA, referente ao mês de março de 2...
Performances, shows, música, cinema, dança e circo compõem a programação do mês de setembro em Salvador O mês de setembro será de puro riso em Salvador. As mais diversas’ manifestações do humor estarão em cartaz, de 08 a 19 de setembro de 2010, na primei...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br