Os 11 princípios do ministro da propaganda nazista Joseph Goebbels; semelhanças doutrinárias com a atuação da Força-tarefa da Lava Jato

Paul Joseph Goebbels, ministro da Propaganda da Alemanha Nazista. Doutrina do nazifascismo é identificada na atuação da Força-tarefa da Lava Jato.

Paul Joseph Goebbels, ministro da Propaganda da Alemanha Nazista. Doutrina do nazifascismo é identificada na atuação da Força-tarefa da Lava Jato.

Em entrevista ao jornal Estadão, concedida na terça-feira (21/09/2016), José Roberto Batochio, advogado de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva,  sentenciou sobre a atuação da força tarefa da Lava Jato e do juiz Sérgio Moro que:

— Dentro da estratégia “Goebelliana” de repetir mil vezes uma inverdade à opinião pública para que, a final, se torne ela verdadeira na superficial percepção das pessoas leigas, não constitui propriamente uma novidade essa autêntica temeridade perpetrada pelos ilustres Acusadores da Força Tarefa Lava Jato. Seguem a receita da necessidade da “acusação além dos limites dos tribunais” para se lograr ter a sociedade, envenenada, como aliada (em prejuízo da justiça e da verdade) e, com isso, se evitarem reações às arbitrariedades praticadas nas apurações. Esse receituário, aliás, era o núcleo tático da desastrosa operação “Mani Pulite” (ou “Mãos Limpas”), que fez morrerem inocentes e nascerem demagogos e embusteiros no cenário político italiano contemporâneo.

Doutrina do nazifascismo

A doutrina do nazifascismo encontra em Goebbels o principal propagandista. Paul Joseph Goebbels foi filiado ao partido Nazi e ideólogo da doutrina do nazifascismo. Ele atuou como Ministro da Propaganda da Alemanha nazista entre 1933 e 1945.

Em vários aspectos, a atuação da Força-tarefa da Lava Jato, no tocante ao ex-presidente Lula, tem semelhanças com algumas dos princípios doutrinários da ação do nazista Joseph Goebbels, a exemplo do ‘Princípio da Vulgarização’, que é transformar tudo numa coisa torpe e de má índole; e o ‘Princípio da Orquestração’, que é fazer ressonar os boatos até se transformarem em notícias sendo estas replicadas pela “imprensa oficial’, transformando-se em falsas verdades assimiladas e repetidas por setores da população.

Confira alguns dos princípios doutrinários do nazifascismo

1.- Princípio da simplificação e do inimigo único.

Simplifique não diversifique, escolha um inimigo por vez. Ignore o que os outros fazem concentre-se em um até acabar com ele.

2.-Princípio do contágio

Divulgue a capacidade de contágio que este inimigo tem.  Colocar um antes perfeito e mostrar como o presente e o futuro estão sendo contaminados por este inimigo.

3.-Princípio da Transposição

Transladar todos os males sociais a este inimigo.

4.-Princípio da Exageração e desfiguração

Exagerar as más noticias até desfigurá-las transformando um delito em mil delitos criando assim um clima de profunda insegurança e temor. “O que nos acontecerá?”

5.-Princípio da Vulgarização

Transforma tudo numa coisa torpe e de má índole. As ações do inimigo são vulgares, ordinárias, fáceis de descobrir.

6.-Princípio da Orquestração

Fazer ressonar os boatos até se transformarem em notícias sendo estas replicadas pela “imprensa oficial’.

7.-Princípio da Renovação

Sempre há que bombardear com novas notícias (sobre o inimigo escolhido) para que o receptor não tenha tempo de pensar, pois está sufocado por elas.

8.-Princípio do Verossímil

Discutir a informação com diversas interpretações de especialistas, mas todas em contra do inimigo escolhido. O objetivo deste debate é que o receptor, não perceba que o assunto interpretado não é verdadeiro.

9.-Princípio do Silêncio.

Ocultar toda a informação que não seja conveniente.

10.-Princípio da Transferência

Potencializar um fato presente com um fato passado. Sempre que se noticia um fato se acresce com um fato que tenha acontecido antes.

11.-Princípio de Unanimidade

Busca convergência em assuntos de interesse geral apoderando-se do sentimento  produzido por estes e colocá-los em contra do inimigo escolhido.

Outras publicações

Semana de oitivas de testemunhas contra Lula termina sem que nenhum dos depoentes tenha acusado ou mostrado provas contra ex-presidente Durante audiência com o juiz Sérgio Moro, depoentes citaram personalidades políticas como Geddel Vieira Lima, Delcídio do Amaral e Eduardo Cunha. O j...
MPF denuncia 15 por corrupção na construção de Angra 3 O Ministério Público Federal (MPF) apresentou hoje (28/07/2016) denúncia contra 15 pessoas suspeitas de fraudes em licitações, corrupção e lavagem de ...
Alberto Youssef passou três vezes mais tempo grampeado por ordem do juiz Sérgio Moro do que na cadeia O doleiro Alberto Youssef deixou nesta quarta-feira (16/11/2016) a prisão em Curitiba onde estava há dois anos e oito meses pelos crimes que cometeu d...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br