Juiz Sérgio Moro diz que nova prisão de Léo Pinheiro não tem relação com acordo de delação

José Adelmário Pinheiro Filho, presidente da Construtora OAS,

José Adelmário Pinheiro Filho, presidente da Construtora OAS,

O juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, Sérgio Moro, disse hoje (05/09/2016) que a nova prisão do ex-presidente da construtora OAS, Léo Pinheiro, não tem relação com a suspensão das negociações do acordo de delação premiada na Operação Lava Jato.

Na decisão em que autorizou a medida, Moro afirmou que a prisão “nada afeta essa questão e eventual retomada da negociação”. O empreiteiro foi preso hoje, pela segunda vez na Lava Jato, em São Paulo, e transferido para a carceragem da Polícia Federal em Curitiba.

No despacho, Moro também explicou que o pedido de prisão de Léo Pinheiro foi feito em março e que demorou para tomar a decisão para aguardar o andamento das investigações.

No processo em que a prisão foi cumprida, Pinheiro responde pelo crime de corrupção, pela suspeita de pagar propina ao ex-senador Gim Argello para barrar as investigações da extinta CPI da Petrobras.

“No evoluir da instrução, porém, surgiram elementos, em cognição sumária, no sentido da ocorrência de crime de corrupção passiva e ativa, como os já apontados, tornando mais evidente o risco à regular apuração das responsabilidades do acusado”, justificou o juiz.

O empreiteiro também responde pela suposta participação do esquema de cartel de empreiteiras na Petrobras e por, supostamente, beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do tríplex e do sítio em Atibaia.

Delação

No mês passado, a Procuradoria-Geral da República (PGR) suspendeu a negociação para que o acordo de delação premiada fosse fechado com Léo Pinheiro e executivos da empreiteira. A medida foi tomada pelo procurador-geral, Rodrigo Janot, após reportagem da Revista Veja, que informou sobre uma suposta citação ao ministro do STF Dias Toffoli.

Após a divulgação da publicação, Janot afirmou que a citação jamais existiu. Segundo o procurador, existe uma “pressão externa” para forçar a aceitação do acordo.

Além do mandado de prisão, Léo Pinheiro foi alvo nesta segunda-feira de um mandado de condução coercitiva na Operação Greenfield, que investiga fraudes em fundos de pensão.

Outras publicações

Deputado Rodrigo Maia afirma que não há como anistiar caixa 2 praticado anteriormente Plenário da Câmara dos Deputados durante discussão do projeto que estabelece medidas contra a corrupção. Deputados discutem com a mesa, presidida pel...
Governador de São Paulo diz que inquéritos levam campanha da presidenta Dilma Rousseff ao centro da Lava Jato Governador Geraldo Alckmin diz que caso Lava Jato atinge campanha presidencial. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou na segund...
Ex-presidente Lula diz “estar indignado com as coisas que estão acontecendo no país”; multidão grita “Lula, guerreiro do povo brasileiro!”; um clamor d... Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é vítima de práticas violentas de setores do Estado que agem em flagrante violação da Lei. O ex-presidente L...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br