Como votou cada senador no julgamento final do impeachment

Lista de votação do processo de impeachment em que foi casado mandato da presidente Dilma Rousseff, apresenta os votos dos senadores que aprovaram a cassação e os senadores que rejeitaram a suspensão dos direitos políticos de Dilma Rousseff.

Lista de votação do processo de impeachment em que foi casado mandato da presidente Dilma Rousseff, apresenta os votos dos senadores que aprovaram a cassação e os senadores que rejeitaram a suspensão dos direitos políticos de Dilma Rousseff.

Infográfico apresenta o voto de cada senador para cassação do mandato de Dilma Rousseff.

Infográfico apresenta o voto de cada senador para cassação do mandato de Dilma Rousseff.

Por 61 votos a 20, o plenário do Senado condenou na quinta-feira (31/08/2016) a presidenta Dilma Rousseff por crime de responsabilidade, em sessão com mais de 2 horas de duração. Com isso, a petista será definitivamente afastada de seu cargo. Pela segunda vez na história do Brasil, uma figura política é destituída da Presidência da República por meio do impeachment. Não houve abstenções.

Foram realizadas duas votações no julgamento do afastamento definitivo de Dilma Rousseff. A primeira votação decidiu sobre o impeachment. A outra, definiu que a presidente não ficará inelegível por oito anos e poderá ecercer função pública. Ambas exigiam o quórum qualificado de dois terços para aprovação.

O processo teve fim nove meses após a autorização da abertura do processo pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A votação decisiva, comandada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, foi aberta, nominal e por registro eletrônico.

Lewandowski reabriu a sessão às 11h15, com a leitura do relatório resumido sobre o processo. “É um resumo de tudo o que aconteceu até o momento, inclusive os argumentos da acusação e da defesa”, disse o ministro que anunciou um “brevissimo resumo do que importa”.

No documento, o ministro listou provas e os principais argumentos que foram apresentados ao longo dos últimos dias pela acusação e pela defesa. Após quase 70 horas de julgamento, iniciado na última quinta-feira (25), foram ouvidos, além da própria representada, parlamentares, testemunhas e os advogados das duas partes.

Por 42 votos a 36, Senadores decidem que Dilma Rousseff pode exercer função pública

Depois de aprovar a perda do mandato de Dilma Rousseff, o Senado também manteve, por 42 votos a 36, os direitos políticos de Dilma. Com isso, ela pode ocupar cargo público. Foram registradas três abstenções. A votação deste quesito foi feita separadamente a pedido de senadores do PT, que apresentaram o requerimento logo no início do dia e que foi acatado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, mesmo sob protestos de aliados do presidente interino Michel Temer.

Como votou cada senador com relação a cassação do mandato da presidente Dilma Rousseff

Acir Gurgacz PDT RO Sim

Aécio Neves PSDB MG Sim

Aloysio Nunes Ferreira PSDB SP Sim

Alvaro Dias PV PR Sim

Ana Amélia PP RS Sim

Angela Portela PT RR Não

Antonio Anastasia PSDB MG Sim

Antônio Carlos Valadares PSB SE Sim

Armando Monteiro PTB PE Não

Ataídes Oliveira PSDB TO Sim

Benedito de Lira PP AL Sim

Cássio Cunha Lima PSDB PB Sim

Cidinho Santos PR MT Sim

Ciro Nogueira PP PI Sim

Cristovam Buarque PPS DF Sim

Dalírio Beber PSDB SC Sim

Dário Berger PMDB SC Sim

Davi Alcolumbre DEM AP Sim

Edison Lobão PMDB MA Sim

Eduardo Amorim PSC SE Sim

Eduardo Braga PMDB AM Sim

Eduardo Lopes PRB RJ Sim

Elmano Férrer PTB PI Não

Eunício Oliveira PMDB CE Sim

Fátima Bezerra PT RN Não

Fernando Bezerra Coelho PSB PE Sim

Fernando Collor PTC AL Sim

Flexa Ribeiro PSDB PA Sim

Garibaldi Alves Filho PMDB RN Sim

Gladson Cameli PP AC Sim

Gleisi Hoffmann PT PR Não

Helio José PMDB DF Sim

Humberto Costa PT PE Não

Ivo Cassol PP RO Sim

Jader Barbalho PMDB PA Sim

João Alberto Souza PMDB MA Sim

João Capiberibe PSB AP Não

Jorge Viana PT AC Não

José Agripino DEM RN Sim

José Anibal PSDB SP Sim

José Maranhão PMDB PB Sim

José Medeiros PSD MT Sim

José Pimentel PT CE Não

Kátia Abreu PMDB TO Não

Lasier Martins PDT RS Sim

Lídice da Mata PSB BA Não

Lindbergh Farias PT RJ Não

Lúcia Vânia PSB GO Sim

Magno Malta PR ES Sim

Maria do Carmo Alves DEM SE Sim

Marta Suplicy PMDB SP Sim

Omar Aziz PSD AM Sim

Otto Alencar PSD BA Não

Paulo Bauer PSDB SC Sim

Paulo Paim PT RS Não

Paulo Rocha PT PA Não

Pedro Chaves (suplente de Delcídio Amaralcassado pelo Senado) PSC MS Sim

Raimundo Lira PMDB PB Sim

Randolfe Rodrigues REDE AP Não

Regina Sousa PT PI Não

Reguffe sem partido DF Sim

Renan Calheiros PMDB AL Sim

Ricardo Ferraço PSDB ES Sim

Roberto Muniz PP BA Não

Roberto Requião PMDB PR Não

Roberto Rocha PSB MA Sim

Romario PSB RJ Sim

Romero Jucá PMDB RR Sim

Ronaldo Caiado DEM GO Sim

Rose de Freitas PMDB ES Sim

Sérgio Petecão PSD AC Sim

Simone Tebet PMDB MS Sim

Tasso Jereissati PSDB CE Sim

Telmário Mota PDT RR Sim

Valdir Raupp PMDB RO Sim

Vanessa Grazziotin PC do B AM Não

Vicentinho Alves PR TO Sim

Waldemir Moka PMDB MS Sim

Wellington Fagundes PR MT Sim

Wilder Morais PP GO Sim

Zezé Perrella PTB MG Sim

Como votou cada senador com relação a suspensão dos direitos políticos no processo do impeachment

Acir Gurgacz (PDT-RO) SIM

Aécio Neves (PSDB-MG) SIM

Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) SIM

Alvaro Dias (PV-PR) SIM

Ana Amélia (PP-RS) SIM

Angela Portela (PT-RR) NÃO

Antonio Anastasia (PSDB-MG) SIM

Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) SIM

Armando Monteiro (PTB-PE) NÃO

Ataídes Oliveira (PSDB-TO) SIM

Benedito de Lira (PP-AL) SIM

Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) SIM

Cidinho Santos (PR-MT) SIM

Ciro Nogueira (PP-PI) SIM

Cristovam Buarque (PPS-DF) SIM

Dalirio Beber (PSDB-SC) SIM

Dário Berger (PMDB-SC) SIM

Davi Alcolumbre (DEM-AP) SIM

Edison Lobão (PMDB-MA) SIM

Eduardo Amorim (PSC-SE) SIM

Eduardo Braga (PMDB-AM) SIM

Eduardo Lopes (PRB-RJ) SIM

Elmano Férrer (PTB-PI) NÃO

Eunício Oliveira (PMDB-CE) SIM

Fátima Bezerra (PT-RN) NÃO

Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) SIM

Fernando Collor (PTC-AL) SIM

Flexa Ribeiro (PSDB-PA) SIM

Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) SIM

Gladson Cameli (PP-AC) SIM

Gleisi Hoffmann (PT-PR) NÃO

Hélio José (PMDB-DF) SIM

Humberto Costa (PT-PE) NÃO

Ivo Cassol (PP-RO) SIM

Jader Barbalho (PMDB-PA) SIM

João Alberto Souza (PMDB-MA) SIM

João Capiberibe (PSB-AP) NÃO

Jorge Viana (PT-AC) NÃO

José Agripino (DEM-RN) SIM

José Aníbal (PSDB-SP) SIM

José Maranhão (PMDB-PB) SIM

José Medeiros (PSD-MT) SIM

José Pimentel (PT-CE) NÃO

Kátia Abreu (PMDB-TO) NÃO

Lasier Martins (PDT-RS) SIM

Lídice da Mata (PSB-BA) NÃO

Lindbergh Farias (PT-RJ) NÃO

Lúcia Vânia (PSB-GO) SIM

Magno Malta (PR-ES) SIM

Maria do Carmo Alves (DEM-SE) SIM

Marta Suplicy (PMDB-SP) SIM

Omar Aziz (PSD-AM) SIM

Otto Alencar (PSD-BA) NÃO

Paulo Bauer (PSDB-SC) SIM

Paulo Paim (PT-RS) NÃO

Paulo Rocha (PT-PA) NÃO

Pedro Chaves (PSC-MS) SIM

Raimundo Lira (PMDB-PB) SIM

Randolfe Rodrigues (REDE-AP) NÃO

Regina Sousa (PT-PI) NÃO

Reguffe (S/PARTIDO-DF) SIM

Renan Calheiros (PMDB-AL) SIM

Ricardo Ferraço (PSDB-ES) SIM

Roberto Muniz (PP-BA) NÃO

Roberto Requião (PMDB-PR)NÃO

Roberto Rocha (PSB-MA) SIM

Romário (PSB-RJ) SIM

Romero Jucá (PMDB-RR) SIM

Ronaldo Caiado (DEM-GO) SIM

Rose de Freitas (PMDB-ES) SIM

Sérgio Petecão (PSD-AC) SIM

Simone Tebet (PMDB-MS) SIM

Tasso Jereissati (PSDB-CE) SIM

Telmário Mota (PDT-RR) SIM

Valdir Raupp (PMDB-RO) SIM

Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) NÃO

Vicentinho Alves (PR-TO) SIM

Waldemir Moka (PMDB-MS) SIM

Wellington Fagundes (PR-MT) SIM

Wilder Morais (PP-GO) SIM

Zeze Perrella (PTB-MG) SIM

Outras publicações

Presidenta Dilma Rousseff quer Jaques Wagner no núcleo da campanha presidencial Jaques Wagner e Dilma Rousseff. Presidenta quer governador da Bahia no núcleo de campanha. A presidenta Dilma Rousseff manteve ontem (04/04/2014) um...
Salvador: durante evento em homenagem aos judeus, presidente Dilma Rousseff defende Estado Palestino Governador Jaques Wagner e a Presidente Dilma Rousseff participam da Cerimônia do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. A libertaç...
Dilma Rousseff: “cassar meu mandato é como me submeter a uma pena de morte política” Dilma Rousseff disse, no Senado, reafirma que jamais renunciaria “porque tenho compromisso inarredável com o Estado de Direito”. Emocionando-se por ...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br