Ao som do pagodão, Parada LGBT atraiu multidão para a avenida

Parada Gay em Feira de Santana.

Parada Gay em Feira de Santana.

O clima era de uma Micareta em pleno mês de setembro. A avenida Getúlio Vargas foi tomada pela alegria e descontração, ao som de um ritmo genuinamente baiano: o pagodão. A 15ª Parada LGBT de Feira de Santana atraiu um grande público na tarde deste domingo, (25/09/2016). Animados pela banda “É Tudo Nosso”, os ´foliões´, formados tanto por homoafetivos como por simpatizantes, esbanjaram energia.

O estilo musical foi uma das novidades do evento este ano. Em princípio foi motivo de resistência e críticas de algumas pessoas, como ressaltou o organizador da Parada LGBT e presidente do GLICH (Grupo de Liberdade, Igualdade e Cidadania Homossexual), Tiago Oliveira. “Houve muita restrição quanto ao nome da banda, mas se a nossa bandeira é lutar contra o preconceito não devemos tê-lo de nenhum tipo, seja de opção sexual, raça ou gênero musical”, salientou.

Mas durante o evento, o que se viu foi que o público aprovou bastante a escolha. “A marca do nosso movimento é sempre a alegria, a felicidade, e nada melhor para celebrar isso com a dança e o swing genuinamente baiano. Tá tudo muito lindo”, ressaltou Caio Damasceno, que foi para a Parada acompanhado de seu companheiro e um grupo de amigos.

A simpatizante Letícia Souza participa do evento há cinco anos consecutivos. “A cada edição aumenta o número de pessoas que vem para a avenida, e hoje posso dizer que a Parada LGBT é um dos meus eventos preferidos. A gente brinca, dá risada, e apoia uma causa que é muito importante para nossa sociedade, que é a luta contra o preconceito”, salientou.

O evento deste ano teve como madrinha a ativista Sandra Muñoz, coordenadora da Casa Cristal Lilás da Bahia, Membro do Comitê Técnico de Saúde Integral LGBT da Bahia. Ao final do percurso, ela discursou sobre o tema da 15ª Parada LGBT de Feira de Santana: “Tenho Identidade e Respeito à Diversidade: Somos LGBT”.

Antes da saída do trio, a animação foi garantida no palco da Diversidade Christy Helmayd – em homenagem ao colunista social que foi assassinado em 2015. No espaço montado na Praça de Alimentação Gilson Pereira, houve apresentações de artistas performáticos, drag queens, transformistas e grupos de dança.

O evento é promovido pelo GLICH com o apoio da Prefeitura através das secretarias de Cultura, Esporte e Lazer (SECEL), Educação (SEDUC), Prevenção a Violência e Promoção dos Direitos Humanos (SEPREV), e Superintendência Municipal de Trânsito (SMT).

Outras publicações

Sindicato dos Enfermeiros do Estado da Bahia inaugura a primeira delegacia em Feira de Santan Sindicato dos Enfermeiros do Estado da Bahia inaugura delegacia em Feira de Santana. Em 29 de agosto de 2015, às 11h, o Sindicato dos Enfermeiros do...
A Feira que queremos: por que o crescimento do nosso município não é planejado? | Por Jhonatas Monteiro Agora que a etapa municipal da Conferência das Cidades se aproxima, nos dias 23 e 24 de maio, é oportuno retomar um assunto vital para a organização d...
Registrado no começo deste ano em Feira, 83 mortes violentas De acordo com levantamento realizado pelo Departamento de Polícia de Feira de Santana, foram registrados em apenas 70 dias, 83 mortes violentas. O últ...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br