STF terá que esclarecer regras de delação premiada, diz ministro Gilmar Mendes

Gilmar Mendes: Acho que, em algum momento, vamos ter que ter algum tipo de questão de ordem para balizar tudo isso. Porque é um mundo de intrigas, de desinteligências.

Gilmar Mendes: Acho que, em algum momento, vamos ter que ter algum tipo de questão de ordem para balizar tudo isso. Porque é um mundo de intrigas, de desinteligências.

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse hoje (30/08/2016) que a Corte terá, inevitavelmente, que discutir sobre inconsistências nas regras de delação premiada. Apesar da lei prever que um juiz homologue os depoimentos, o ministro destacou que nem sempre as circunstâncias de negociação das delações ficam claras.

“Acho que, em algum momento, vamos ter que ter algum tipo de questão de ordem para balizar tudo isso. Porque é um mundo de intrigas, de desinteligências. Acho que o próprio tribunal, que homologa, fica às vezes numa má luz”, disse Mendes. “Certamente isso vai ser objeto de discussão aqui.”

O ministro destacou que o próprio relator da Operação Lava Jato no STF, ministro Teori Zavascki, tem levantado pontos a serem discutidos sobre a delação premiada em meio aos processos. Mendes chegou a citar misteriosas forças “internas”, “externas” e até mesmo “ocultas” que contribuem para deixar pouco transparentes as negociações das delações premiadas.

“É muito difícil, porque, claro, essas tratativas são sempre sigilosas. O que a gente percebe é que há um fogo cruzado muito intenso. Ao invés de forças internas, estava me lembrando das forças ocultas do Jânio [Quadros], tem também as forças externas. Quer dizer, sabe-se lá como isso funciona”, disse o ministro.

*Com informação da Agência Brasil.

Outras publicações

Câmara dos Deputados aprova texto-base de projeto com medidas de combate à corrupção Sessão extraordinária para discussão e votação da PL 4850/2016 - que estabelece medidas contra a corrupção. A Câmara dos Deputados aprovou por 450 v...
Presidente Michel Temer nega irregularidade em cheque de R$ 1 milhão para campanha de 2014 Presidente Michel Temer (ao centro) presta depoimento sobre correligionário Eduardo Cunha. O presidente Michel Temer disse que não houve irregularid...
Lava Jato: ex-senador Gim Argello assume pedido de doação, nega propina e chora Ex-senador Jorge Afonso Argello (Gim Argello). Em depoimento perante o juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira ins...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br