Tombamento de documentos da ‘Revolta dos Búzios’ tem cerimônia na Alba

Dossiê Revolta dos Búzios.

Dossiê Revolta dos Búzios.

O Salão Nobre da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), no Centro Administrativo (CAB), em Salvador, sedia na próxima terça-feira (30/08/2016), às 16h, o Ato de Assinatura da Notificação do Tombamento dos documentos da Revolta dos Búzios que estão no Arquivo Público da Bahia e completam agora de 271 anos. Na oportunidade, será sugerido o nome do historiador Luiz Henrique Dias Tavares para ser homenageado pela dedicação de anos de estudo e publicações sobre o tema.

A ação é uma articulação conjunta feita pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) e Fundação Pedro Calmon (FPC), unidades da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), responsável pela salvaguarda estadual dos bens culturais baianos. “Com esse ato, iniciamos pesquisas e coleta de dados para criar um dossiê que possibilitará o tombamento definitivo como Patrimônio Cultural da Bahia”, explica o diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira. Após as pesquisas, o dossiê é enviado ao Conselho de Cultura (www.conselhodecultura.ba.gov.br), ao secretário de Cultura que o encaminha para deliberação do governador do Estado e publicação de decreto no Diário Oficial.

A ideia partiu de um conjunto de representantes da sociedade baiana, como o grupo cultural Olodum, Associação Cultural Ilê Ayê, IPAC, FPC, deputados estaduais Fabíola Mansur, Luíza Maia e Bira Coroa, e outras entidades, personalidades e estudiosos do tema. Segundo o diretor geral do IPAC, com a possibilidade do tombamento, o bem cultural passa a ter prioridades nas linhas de financiamento municipais, estaduais, federais e até internacionais. “Esses recursos podem ser aplicados para a conservação do patrimônio tombado, e para a sua articulação sócio-cultural e difusão no estado e no país”, lembra o gestor estadual.

A Revolta dos Búzios, conhecida também como Conjuração baiana ou Revolta dos Alfaiates (pois existiam esses profissionais entre os revoltosos), ocorreu entre agosto de 1798 e novembro de 1799 na Bahia. Segundo especialistas do tema, apesar de ter acontecido em Salvador, a revolta tem abrangência histórico-simbólica nacional e até internacional. O IPAC já fez tombamentos similares quando da notificação do prédio e de todo o acervo do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB).

Emancipação – A revolta teve caráter emancipatório e foi considerada uma iniciativa radical, já que tinha proposta de igualdade e democracia para toda a sociedade da época. A política colonial elevava os preços de alimentos, causando insatisfação na população que contaminou cidadãos e até militares. Eles pediam a abolição da escravatura; a proclamação da república; a diminuição de impostos; a abertura dos portos; o fim do preconceito; e aumento salarial.

A bandeira da conjuração (azul, branca e vermelha) são até hoje as cores da Bahia. A repressão foi violenta. Em 8 de Novembro de 1799, foram executados quatro participantes: o soldado Lucas Dantas do Amorim Torres; o aprendiz de alfaiate Manuel Faustino dos Santos Lira; o soldado Luís Gonzaga das Virgens; e o mestre alfaiate João de Deus Nascimento.

O quinto condenado à pena capital, o ourives Luís Pires, fugiu e nunca mais foi localizado. Outros foram presos, castigados com chibatadas em praça pública e degredados. Mais informações na Biblioteca Virtual Consuelo Pondé (www.bvconsueloponde.ba.gov.br) da Fundação Pedro Calmon, no ‘Dossiê de Revoltas’: http://goo.gl/zRmtwU. Conheça os patrimônios culturais protegidos na Bahia: www.patrimonio.ipac.ba.gov.br.

Outras publicações

MPF Bahia denuncia duas pessoas por tentativa de latrocínio Os réus são acusados de tentativa de latrocínio e de roubo consumado mediante uso de armas de fogo e concurso de agentes. O Ministério Público Federa...
Tráfico de drogas é responsável por mais de 50% dos assassinatos de jovens na Bahia Audiência Pública em Lauro de Freitas debate assassinato de jovens. O tráfico de drogas vem crescendo e é responsável por mais de 50% dos casos de h...
Bahia cumpre critérios para aplicação de recursos das operações de crédito Fachada da sede da Secretaria da Estadual da Fazenda da Bahia (Sefaz Bahia), em Salvador. Durante o ano de 2009, o Estado recebeu três parcelas refe...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br