STF adia julgamento de denúncia contra senadora Gleisi Hoffmann e o ex-ministro Paulo Bernardo

A senadora Gleise Hoffmann conversa com o presidente do STF, Ricardo Lewandowski durante a sessão de julgamento do impeachment.

A senadora Gleise Hoffmann conversa com o presidente do STF, Ricardo Lewandowski durante a sessão de julgamento do impeachment.

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) adiou o julgamento sobre denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o marido dela, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo. O julgamento havia sido marcado para terça-feira (30/08/2016). A nova data ainda não foi definida.

O inquérito foi retirado da pauta no início da semana, após pedido do ministro Teori Zavascki, relator do processo, para evitar questionamentos sobre a nulidade do julgamento. No momento da sessão, a senadora estará no julgamento, no Senado, que decidirá sobre o afastamento definitivo da presidenta Dilma Rousseff.

Em maio, Gleisi e Paulo Bernardo foram denunciados ao Supremo sob a acusação de terem recebido R$ 1 milhão para campanha da senadora em 2010. De acordo com depoimentos de delatores na Operação Lava Jato, o valor é oriundo de desvios de contratos da Petrobras. Ambos foram citados nas delações do doleiro Alberto Youssef.

Em documento encaminhado ao Supremo, a defesa dos dois diz que as acusações são “meras conjecturas feitas às pressas” em função de acordos de delação premiada. “A requerida [senadora] jamais praticou qualquer ato que pudesse ser caracterizado como ato ilícito, especialmente no bojo do pleito eleitoral ao Senado Federal no ano de 2010, na medida em que todas as suas contas de campanha foram declaradas e integralmente aprovadas pela Justiça Eleitoral”.

Outras publicações

TRF determina que Carlinhos Cachoeira e Fernando Cavendish voltem para a prisão Em 30 de junho de 2016, o empresário Carlinhos Cachoeira (de preto), o ex-diretor da Delta, Cláudio Abreu (de branco) e o empresário Adir Assad (de j...
Contra o fascismo: para senadores do PT, revogação mostra que prisão do ex-ministro Guido Mantega foi “arbitrária” e representou show midiático Humberto Costa: O showzinho midiático da força-tarefa teve apenas o objetivo de aquecer a pauta da mídia empresarial e criminalizar o PT. Senadores ...
Defesa pede liberdade do ex-deputado Eduardo Cunha a tribunal em Porto Alegre O ex-deputado federal Eduardo Cunha é preso e transferido de Brasília para a sede da Polícia Federal em Curitiba. A defesa do deputado cassado Eduar...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br