Operação “Immobilis”: Gaeco do MPBA desarticula esquema de fraudes em transações imobiliárias

Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas do Ministério Público do Estado da Bahia (Gaeco).

Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas do Ministério Público do Estado da Bahia (Gaeco).

Envolvidos em um esquema criminoso, o juiz de Direito aposentado da Comarca de Canto do Buriti/PI, Cícero Rodrigues Ferreira Silva, e Aloísio Dantas de Morais, foram presos preventivamente na manhã de hoje (26/08/2016) durante a “Operação Immobilis”. Deflagrada pelo Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas do Ministério Público do Estado da Bahia (Gaeco, do MPBA), com o apoio operacional do Departamento de Combate ao Crime Organizado da Polícia Civil (Draco) e do Gaeco do Piauí, a Operação teve como objetivo desmantelar a organização dedicada à prática de transações imobiliárias fraudulentas que atuava na Bahia e em outros estados do país. Além das prisões e buscas e apreensões realizadas, foram conduzidos coercitivamente para depoimentos Iana Vinhas Novaes e Antônio Bruno Costa Saback, suspeitos de integrarem o esquema de fraude. Cícero Silva foi preso no Piauí e Aloísio Morais na Bahia

De acordo com os promotores do Gaeco baiano, os investigados atuavam, em parceria com o magistrado, simulando a presença de pessoas em ações judiciais, das quais eram emitidas ordens judiciais cancelando a hipoteca de imóveis, o que permitia a transferência destes para alguém do grupo criminoso. Esta ação gerava um novo documento no cartório de registro de imóveis, sem nenhuma hipoteca, o que permitia a comercialização dos mesmos para terceiros, em sua maioria de boa fé.

Os resultados da operação, que teve início em janeiro deste ano, foram apresentados na tarde de hoje à imprensa por promotores de Justiça que atuam no Gaeco da Bahia. Eles informaram que uma inspeção da Corregedoria do Tribunal de Justiça do Piauí detectou mais de duzentas transferências irregulares de imóveis pela quadrilha em todo o Brasil. O próximo passo consiste na análise dos documentos apreendidos para verificação e comprovação dos crimes de estelionato, formação de organização criminosa e, possivelmente, falsificação de documentos.

Outras publicações

Justiça acolhe denúncias do MP contra prefeitos de Cipó, Macururé, Mucuri e Simões Filho A Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Bahia recebeu no dia 22 de maio de 2014, as denúncias oferecidas pelo Ministério Público estadual ...
Governo da Bahia e Ministério Público inauguram Cira em Feira de Santana para combate à sonegação Solenidade acontece no mesmo dia em que está agendada audiência, no Fórum de Feira de Santana, com o maior sonegador fiscal do estado, cuja prisão fo...
Ministério Público convoca sociedade a debater sistema de transporte público de Feira de Santana Ministério Público promove audiência com objetivo de apurar deficiências no sistema de transporte público de Feira de Santana. Sintonizado com as de...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br