Ministro Ricardo Lewandowski nega recurso da defesa da presidente Dilma Rousseff para anular pronúncia do impeachment

Presidente Dilma Vana Rousseff é julgada pelo Senado em um processo com elementos evidentes de Golpe de Estado através de pseudo ordem democrática.

Presidente Dilma Vana Rousseff é julgada pelo Senado em um processo com elementos evidentes de Golpe de Estado através de pseudo ordem democrática.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do processo de impeachment, Ricardo Lewandowski, rejeitou na terça-feira (23/08/2016) recurso da defesa da presidenta afastada Dilma Rousseff para anular a votação da fase de pronúncia da denúncia por crime de responsabilidade, no Senado.

No recurso, entre as alegações, a defesa afirmou que houve “violação do devido processo legal e a seu direito de defesa” no julgamento de questões preliminares arguidas pela presidenta afastada.

Ao decidir a questão, o ministro entendeu que a votação das preliminares em bloco não trouxe prejuízo para Dilma. “Com efeito, não vislumbro nenhuma nulidade na decisão de pronúncia proferida pelo Senado Federal. É que o fato de as prejudiciais e preliminares terem sido votadas em bloco não trouxe qualquer prejuízo à acusada”, decidiu.

Julgamento

O início do julgamento definitivo de Dilma Rousseff está marcado para começar na quinta-feira (25), às 9h, no plenário do Senado. Para afastar definitivamente a presidenta do mandato, serão necessários dois terços dos votos, ou seja, o apoio de, no mínimo, 54 dos 81 senadores.

Se esse cenário se confirmar, o presidente interino assume definitivamente o cargo e a petista fica inelegível por oito anos. Se o mínimo necessário para o impeachment não for alcançado, ela retoma o mandato e o processo no Senado é arquivado.

Outras publicações

CNT/Sensus aponta Dilma com 51,9%, contra 36,7% de Serra Uma nova pesquisa do instituto Sensus encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e divulgada nesta quarta-feira aponta a candidata d...
Presidente Dilma Rousseff diz que quer retirar mais 500 mil trabalhadores da informalidade até o final do ano A presidenta Dilma Rousseff afirmou que o governo tem como meta retirar da informalidade 500 mil trabalhadores até o final deste ano, por meio da redu...
Protestos contra corrupção e governo Rousseff ocorrem em todas as regiões do país Manifestação no Farol da Barra em Salvador. As manifestações contra a corrupção e contra o governo da presidenta Dilma Rousseff ocorreram em todas a...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br