Ministro Gilmar Mendes evita se posicionar sobre indiciamento do ex-presidente Lula pela PF

Ministro Gilmar Mendes disse que votará favorável à prisão de réu condenado em segunda instância.

Ministro Gilmar Mendes disse que votará favorável à prisão de réu condenado em segunda instância.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes evitou comentar o indiciamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela Polícia Federal (PF), ocorrido na sexta-feira (26/08/2016), por causa do apartamento tríplex no Guarujá, atribuído a ele pela investigação policial. Gilmar classificou de melancólica e constrangedora as acusações apuradas nas investigações da Operação Lava Jato.

“Não vou emitir juízo sobre isso, até porque os fatos que existem em relação ao ex-presidente ainda estão sendo investigados. Há uma denúncia, mas é preciso julgar, como diz o samba, para depois condenar. Claro que esses fatos que ocorreram e que estão comprovados são fatos extremamente tristes. Nós estamos encerrando uma fase importante de alternância de poder, de maneira bastante melancólica. Aquilo que está sendo revelado é bastante constrangedor”, disse o ministro.

Gilmar Mendes disse que votará favorável à prisão de réu condenado em segunda instância, quando a matéria voltar ao STF, provavelmente na próxima semana. “A matéria vai ser submetida ao Plenário e eu vou reiterar o voto no sentido de que é bastante a decisão de segunda instância para a execução da pena.”

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro falou ainda sobre o processo de julgamento das contas de campanha da presidenta afastada Dilma Rousseff e do presidente interino, Michel Temer.

“Nós temos que aguardar. Se confirmam o impeachment, nós vamos deliberar sobre toda essa temática, se o processo prossegue em relação a Temer, se haverá um julgamento em relação a ele, porque a presidenta Dilma estará excluída desse processo, estará inelegível e terá o seu mandato cassado pelo Senado Federal. Então nós temos que aguardar essa questão e o TSE vai se debruçar sobre isso”, disse Gilmar Mendes, durante o seminário sobre os 75 anos da Justiça do Trabalho na Fundação Getúlio Vargas (FGV) no Rio de Janeiro.

Outras publicações

STF declara inconstitucional modelo atual do Fundo de Participação dos Estados Por oito votos a um, o Supremo Tribunal Federal (STF) declarou inconstitucional o atual modelo de distribuição de recursos do Fundo de Participação do...
Advogados de Dilma Rousseff defendem no STF votação fatiada do impeachment Defesa da ex-presidente Dilma Rousseff requer manutenção dos direitos políticos. Os advogados da ex-presidenta Dilma Rousseff apresentaram na terça-...
Confira a conversa com a Presidenta Dilma Rousseff, onde ela aborda: Investimentos no Nordeste, poluição por sacolas plásticas e acesso Dilma Rousseff comenta em sua coluna sobre os temas: Investimentos no Nordeste, poluição por sacolas plásticas e acesso A coluna semanal “Conversa c...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br