Mestre Irineu e o Leão Branco

Leão Branco africano

Leão Branco africano

Quem é o Leão Branco que dá título ao hino nº 26 d’O Cruzeiro Universal do Mestre Raimundo Irineu Serra?

Meu Pai foi quem me fez

Eu devo ter amor

Sou filho do meu Pai

Feliz eu devo ser.

 

Sou filho do meu Pai

Eu devo ter amor

Sou filho do meu Pai

A minha Mãe me acompanhou.

 

A minha Mãe me acompanhou

Mandou eu ensinar

Os que forem filhos Dela

Aprender ao menos a rezar.

O Leão Branco é um animal exclusivo da reserva natural de Timbavati, na África do Sul. Têm hábitos, alimentação e comportamento idênticos às demais subespécies de leões, porém estes felinos se caracterizam por uma estranha anomalia nos genes recessivos, responsáveis por sua característica cor branca.

O Leão Branco sempre esteve ligado a diversas crenças e mistérios que circulam entre as tribos que povoam essa região sul-africana. Sua presença era relacionada à prosperidade e abundância; suas aparições são vistas como um presente de Deus. Venerado pelos povos locais, a sua cor branca representa a bondade que deve existir em todas as criaturas.

A Santa Doutrina que viria a ser replantada por Mestre Raimundo Irineu Serra por ordem da Rainha da Floresta nos diz que nos primórdios o povo de Deus era dividido em 12 tribos, originadas dos 12 filhos de Jacó, neto do patriarca Abraão.

Jacó, marido de Léia, no leito de morte deu uma benção especial a seu quarto filho, Judá, profetizou que ele seria um líder natural entre os seus irmãos e que o Cristo, o Deus de Israel e de toda a Terra seria seu descendente. “Judá, a ti te louvarão os teus irmãos (…) os filhos de teu pai a ti se inclinarão”. E continua Jacó: “Judá é um leãozinho, da presa subiste, filho meu. Encurva-se e deita-se como um leão, e como um leão velho”.  Assim, o leão se tornou o símbolo da tribo de Judá, e o povo judeu é seu descendente.

Os judeus esperavam o Messias, o Profeta Ungido, Sacerdote, Rei e Libertador. Quando Este veio ao mundo, não o reconheceram, e foi por eles desprezado.  Dele — Jesus Cristo — sarcasticamente deu testemunho o seu sentenciador, Pôncio Pilatos, que mandou pregar uma tabuleta na sua cruz: “Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus”.

As profecias de Isaías tratam da vinda do Redentor, tanto no seu ministério terreno quanto como o Grande Rei. “Quem é este, que vem de Edom, com vestidos tintos de bozra? Este que é glorioso em sua vestidura, que marcha com a sua grande força?”

Este é o Leão de Judá, filho de Davi, Jesus Cristo. O livro de Apocalipse é revelador quando o apresenta; “eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu”.

E quem é o Leão Branco, que dá título ao hino número 26 do hinário O Cruzeiro Universal do Mestre Raimundo Irineu Serra?

Podemos procurar a resposta no próprio hino, claro:

Meu Pai foi quem me fez

Quando andava pelo território de Cesaréia de Filipe, Jesus perguntou aos seus discípulos:

— Quem os homens dizem que eu sou?.

Eles responderam:

— Uns dizem que sois João Batista, outros Elias, outros Jeremias ou algum dos profetas.

Então Jesus disse-lhes:

— E vós, quem dizeis que eu sou?.

Simão Pedro respondeu:

— Vós sois o Cristo, o Filho do Deus vivo.

Sou filho do meu Pai

A minha mãe me acompanhou.

Maria, Mãe de Jesus, lhe acompanhou em toda a sua Missão. Desde o início — nas bodas de Canã — até a hora da sua morte, antes da gloriosa ressurreição, quando seu Filho a recomenda ao discípulo amado João.

Algumas passagens bíblicas confirmam isto: “Eis que tua mãe e teus irmãos estão lá fora e te procuram”;  “Não é este o filho do carpinteiro? Não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? Não vivem entre nós todas as suas irmãs?”

Estavam em pé, junto à cruz de Jesus, sua Mãe, e a irmã de sua mãe, e Maria, mulher de Clôpas, e Maria Madalena. Ora, Jesus, vendo ali sua Mãe, e ao lado Dela o discípulo a quem ele amava, disse a sua Mãe:

— Mulher, eis aí o teu filho.

Então disse ao discípulo:

— Eis aí tua mãe.

E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.

Raimundo Irineu Serra, na sua Missão, é guiado pela lua, isto é, conduzido por “uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça”. A história do seu apostolado está relacionada a uma senhora de nome Clara que lhe aparecia em visões, desde criancinha.

A minha Mãe me acompanhou,

Mandou eu ensinar

Os que forem filhos Dela,

Aprender ao menos a rezar.

A entidade espiritual se apresentou depois como sendo a própria Rainha da Floresta, Nossa Senhora da Conceição, Mãe de Jesus. Passou a ser a tutora de Irineu Serra em seu aprendizado com a Ayahuasca e lhe deu instruções para que se preparasse, que ela tinha uma missão espiritual para entregar a ele: replantar a Doutrina do Salvador.

A Aparição de Nossa Senhora ao jovem Irineu é concomitante a aparição da Virgem Mãe aos três pastorinhos em Fátima (Portugal), que os recomendou:

— Rezem o Rosário todos os dias para alcançar a paz do mundo e o fim da guerra.

Corria o ano de 1917.

Certa vez perguntaram a Raimundo Irineu Serra:

— Mestre, qual a maior obrigação de quem toma Daime?

E o Mestre Irineu respondeu:

— Meu filho, a maior obrigação dentro desta Missão é rezar!

O exegeta daimista Florestan Neto foi em busca da resposta: quem é o Leão Branco? E nos narra o seguinte:

“Eu estava vestido com uma blusa de malha, que é estampada com um rosto espiritual do Mestre Jesus. Este rosto, dizem, foi recebido por um médium. É um rosto muito bonito, sereno e radiante.

“Depois de passado algum tempo após tomar o Daime, senti aquele enjoo característico que prenuncia alguma passagem. Após fazer uma limpeza muito forte, balançada, retorno para meu lugar, quando, quase instantaneamente, abre-se a miração reveladora.

“Quando olho para minha blusa, uma surpresa! Os cabelos do Mestre Jesus, haviam se transformado em uma linda juba! E os traços do sereno rosto, confundiam-se com as de um leão; inclusive com aquele bigodinho característico do felino. Neste exato momento, a voz interior me disse:

— O leão é um símbolo de majestade!

— O leão é o Rei!

— O leão é um símbolo de força!

— O leão é um símbolo de domínio!

— O branco é um símbolo da paz!

— O branco é um símbolo da pureza!

— O branco é um símbolo da renúncia!

— O branco é um símbolo da caridade!

Quem reúne todas estas virtudes, a não ser o Mestre Jesus?

—  Leão Branco é Jesus Cristo!

Leão branco

Leão branco

Sobre o autor

Juarez Duarte Bomfim
Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. com.br.