Laço Comprido é considerado uma das bandeiras culturais do Mato Grosso do Sul

José Carlos Tavares do Couto Filho praticante da modalidade 'Laço Comprido'

José Carlos Tavares do Couto Filho praticante da modalidade ‘Laço Comprido’

Há mais de uma década, o Estado sedia a maior competição nacional da modalidade. São os homens campeiros os responsáveis pelo desenvolvimento do Laço Comprido como um esporte equestre. A tradicional modalidade, atualmente reconhecida como uma das bandeiras culturais do Estado do Mato Grosso do Sul, teve os seus primeiros registros na década de 1970. Período em que nasceram os Clubes de Laço e quando foi estabelecido o estatuto considerando o Laço Comprido como esporte.

Laçadores contam que naquela época não havia cercas para contenção dos animais. “A única forma de pegá-los era utilizando o laço. Dessa forma, o homem campeiro, até para sobreviver, foi se tornando um exímio laçador, fazendo dele uma arte que foi sendo transmitida de geração em geração”, explica José Carlos Tavares do Couto Filho, presidente do Núcleo Sul-Mato-Grossense do Quarto de Milha (MSQM).

Há mais de uma década, a capital Campo Grande sedia o Potro do Futuro e Campeonato Nacional de Laço Comprido. A maior competição nacional da modalidade, que teve a sua 11ª edição realizada de 04 a 07 de agosto deste ano, é promovida pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM) e organizada pelo MSQM. De acordo com o núcleo, o esporte cresce cerca de 20% ao ano.

Paixão que aquece a economia estadual

Cerca de três eventos de Laço Comprido são promovidos por mais de 40 clubes todos os finais de semana, em 77 municípios do Mato Grosso do Sul. Segundo os organizadores, as provas são responsáveis por um grande impacto econômico-financeiro no comércio de rações, vacinas, medicamentos veterinários, hotéis, restaurantes, postos de gasolina, além da geração de milhares de vagas diretas e indiretas de trabalho.

Um esporte que une a família

Mais de 200 famílias estão diretamente envolvidas no evento. “O Laço Comprido é o esporte da família. Temos categorias com premiações específicas para casais, pais e filhos, avós e netos e irmãos. Também buscamos incentivar à educação, através de provas para estudantes do ensino fundamental ao superior. E por tudo isso, nossos atletas são símbolo de virtude, comportamento moral e ética”, finaliza o presidente.

Outras publicações

Mostra fotográfica retrata a população e o cotidiano de Canudos Evandro Teixeira em Canudos. Fotografia de Canudos, por Evandro Teixeira. Uma mostra fotográfica composta por 43 imagens revela a população e o ...
Feira de Santana: Asa Filho, Mairi Montealegre e Samyr o Raimundinho apresentam shows na cidade de cultura Shows de Asa Filho, Mairi Montealegre e Samyr ocorrem na Cidade da Cultura. A Organização Artística Cidade da Cultura (ORACC) apresenta nos dias 01,...
Salvador: Peça teatral ‘Dona Coca’ estreia temporada Cartaz anuncia peça teatral 'Dona Coca'. Volta a cartaz nesta sexta-feira, às 20 horas em curta temporada na Casa da Outra, o espetáculo solo Dona C...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br