Impeachment: senador Renan Calheiros diz que, se necessário, Senado vai trabalhar no fim de semana

Senador Renan Calheiros: Espero bom senso, porque se as oitivas das testemunhas, tanto de defesa quanto de acusação, andarem rápido, nós não vamos precisar trabalhar no sábado e no domingo.

Senador Renan Calheiros: Espero bom senso, porque se as oitivas das testemunhas, tanto de defesa quanto de acusação, andarem rápido, nós não vamos precisar trabalhar no sábado e no domingo.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse na terça-feira (23/08/2016) que, se for necessário, os senadores vão trabalhar no próximo final de semana para cumprir as etapas finais do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff.  Renan pediu “bom senso” durante os depoimentos das testemunhas de defesa e de acusação, para a celeridade dos trabalhos.

“Espero bom senso, porque se as oitivas das testemunhas, tanto de defesa quanto de acusação, andarem rápido, nós não vamos precisar trabalhar no sábado e no domingo. Caso contrário, vamos ter que trabalhar, porque na segunda-feira [29], às 9 h, vamos ouvir a presidente Dilma Rousseff. Em seguida, os senadores poderão fazer perguntas à presidente”, disse Renan.

De acordo com o presidente do Senado, se não houver simplificação nos depoimentos das testemunhas e se gastar muito tempo durante essa parte do processo, será necessário que os trabalhos prossigam no final de semana. “Se houver necessidade, nós vamos trabalhar neste final de semana”.

Reunião

O senador deixou a presidência dos trabalhos da sessão do Congresso Nacional, na qual estão sendo apreciados vetos presidenciais e, em seguida, deverá ser votada a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para se reunir em seu gabinete com o ministro do Planejamento, Dyogo de Oliveira. Renan disse que a conversa com o ministro seria para tratar sobre votações de matérias que dizem respeito ao Orçamento, a LDO, a Desvinculação das Receitas da União (DRU), dentre outras.

Outras publicações

Senador russo Konstantin Kosachev: mudança de poder no Brasil não foi realizada sem intervenção externa Presidente Dilma Rousseff e vice-presidente Michel Temer durante posse em 1º de janeiro de 2015. Usurpação da República contou com apoio internaciona...
Presidenta Dilma Rousseff declara luto oficial de três dias pela morte de Eduardo Campos Eduardo Henrique Accioly Campos (Eduardo Campos). Renata Campos, Lula, Eduardo Campos e Dilma Rousseff. Eduardo Campos foi colega de ministério d...
Discurso da presidente Dilma Rousseff ao apresentar no Senado Federal a defesa do processo de impeachment No plenário do Senado Federal, presidente Dilma Rousseff apresenta defesa do julgamento do processo de impeachment. Excelentíssimo Senhor Presidente...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br