Ex-presidente da Fifa, João Havelange morre aos 100 anos no Rio

O ex-presidente da Fifa Jean-Marie Faustin Goedefroid Havelange faleceu aos 100 anos.

O ex-presidente da Fifa Jean-Marie Faustin Goedefroid Havelange faleceu aos 100 anos.

O ex-presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa) João Havelange morreu hoje (16/08/2016), aos 100 anos, no Rio de Janeiro. Ele estava internado no Hospital Samaritano, de Botafogo, desde o mês passado, para tratamento de pneumonia.

Advogado e empresário, João Havelange foi uma das figuras mais influentes do mundo dos esportes. À frente da Fifa, Havelange foi apontado como o responsável por várias transformações no futebol em todo o planeta.

Filho de um comerciante belga de armas, Jean-Marie Faustin Goedefroid de Havelange nasceu no Rio de Janeiro em 8 de maio de 1916. O gosto pelos esportes surgiu na infância, tornando-se atleta na juventude. Aos 20 anos, competiu com a equipe de natação brasileira nas Olimpíadas de Berlim. Em 1952, participou dos Jogos de Helsinque, na Finlândia, como jogador de polo aquático.

Quatro anos depois, assumiu a presidência da extinta (CBD), que reunia 24 esportes, entre eles, o futebol. Durante os 18 anos à frente da entidade, viu o Brasil ser tricampeão mundial de futebol ao vencer as Copas de 1958 (Suécia), 1962 (Chile) e 1970 (México).

Em 1974, foi eleito presidente da Fifa, o primeiro de um país fora da Europa a liderar a organização. Após sucessivas reeleições, permaneceu como o homem mais poderoso do futebol por 24 anos, período em que organizou seis Copas do Mundo e visitou mais de 180 países. No ano de 1998, deixou o comando da federação, sendo homenageado com o título de presidente de honra. Foi sucedido pelo economista suíço Joseph Blatter.

Depois da Fifa, passou a dedicar-se a negócios empresariais e ao trabalho filantrópico. Desde 1963, integrava o Comitê Olímpico Internacional (COI) e era o mais antigo membro do órgão. Em 2011, renunciou em meio a ameaça do COI abrir uma investigação contra ele por suspeita de corrupção. Havelange justificou, na época, a saída por motivos de saúde. Fora do COI, ele conseguiu evitar ser punido e o processo foi arquivado.

Em 2012, depois de longa batalha jurídica, os documentos do processo suíço foram publicados e, neles, provou-se que Havelange havia “fraudado” a Fifa. Em 2013, ele renunciou ao cargo de presidente de honra da organização.

*Com informação da Agência Brasil.

Outras publicações

Começa debate sobre Estatuto da Igualdade Racial Ainda existe muito preconceito entre os brasileiros, apesar da criação da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepir) e da promulgação do Estat...
Morre aos 77 anos o ator Luiz Carlos Miele Luiz Carlos Miele morre no Rio de Janeiro. Segundo informações, um familiar de Miele ligou para o serviço de atendimento emergencial. Porém, quan...
Alargamento da Praia Central de Balneário Camboriú em Santa Catarina Está no jornal O Estado de São Paulo, “Camboriú terá o maior prédio da América do Sul”, um edifício com 63 andares, a ser construído na Barra Sul, pró...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br