Eleições 2016 – Salvador: prefeito ACM Neto chama governador para “briga” em evento de campanha; confira entrevista com vereador José Trindade

ACM Neto (DEM) adota postura reacionária e beligerante, durante discurso. Gestão é duramente criticada pelo vereador José Trindade .

ACM Neto (DEM) adota postura reacionária e beligerante, durante discurso. Gestão é duramente criticada pelo vereador José Trindade .

Durante apresentação de seu plano de governo para um eventual segundo mandato, na noite desta quarta-feira (24/08/09), no Hotel Fiesta, o prefeito ACM Neto (DEM) afirmou que o governador Rui Costa (PT) ‘deveria trabalhar mais do que ficar se preocupando comigo’.

“Não adianta o governador querer se esconder atrás de seus candidatos, pois eu vou e quero debater é com ele. Não adianta. Eu estou pronto para mostrar que nos anos de governo de PT eles não construíram uma escola sequer. Eu estou pronto para mostrar que o Partido dos Trabalhadores é o mais corrupto do Brasil”, provocou o democrata, que antes de apresentar seu plano, fez um balanço de seu governo para multiplicadores e correligionários.

Opositor ferrenho ao prefeito ACM Neto (DEM), o vereador José Trindade (PSL) dá “nota zero” à gestão do democrata em todas as áreas do governo municipal. “Ele não conseguiu gerar nenhum novo emprego em Salvador. Faz festas, mas não gera emprego. O único programa social que a prefeitura fez foi o ‘Meu Viaduto, Minha Vida’. São as pessoas a cada dia mais morando embaixo dos viadutos”, dispara.

O vereador também não faz boa avaliação da atual composição da Mesa Diretora da Câmara Municipal, pois avalia que “a Casa está a serviço do Executivo”.

Confira entrevista do vereador José Trindade concedida ao Jornal Tribuna da Bahia

Tribuna da Bahia – Como o senhor avalia a atual legislatura da Câmara de Salvador?

José Trindade – O interessante é que todos os candidatos quando se propõem a presidir uma Casa Legislativa, eles estabelecem como uma das primeiras prioridades a independência entre os poderes, ele vende que vai ter a independência entre os poderes. Infelizmente a Casa tem vários aspectos positivos, mas em relação à independência dos poderes foi zero. Aqui o poder Executivo tem uma atuação forte dentro da Câmara Municipal e pauta as ações da Câmara. Quando se discute os projetos que vêm do Executivo, quando se vota os projetos que vêm do Executivo, a Casa para. Quando se vende essa ideia de independência dos poderes, a Câmara Municipal tem que ser realmente um poder independente. Isso para mim foi a grande falha dessa administração. A Casa ficou pautada o tempo todo pelo Executivo.

Tribuna – O que o senhor coloca como destaque do seu mandato em benefício da população?

Trindade – O legislador tem como funções legislar e fiscalizar (o Executivo). Nós procuramos estar sempre atentos às ações do governo municipal, e procuramos sempre que possível pontuar de forma muito clara para a sociedade nossa posição em relação ao governo municipal, que é um governo que deixa muito a desejar em vários aspectos. Se você for na área social, a prefeitura recebe nota zero. Eu atribuiria nota zero ao prefeito e à sua gestão, porque na área social ele deixou muito a desejar. Em relação ao nosso mandato, nós apresentamos projetos visando o benefício da população. Apresentamos projetos ao consumidor, vários projetos para a população entender que nós fazemos um trabalho aqui voltado para as comunidades. Não só as comunidades que nos elegeram, mas a todo o povo de Salvador. Apresentamos recentemente um projeto para que o transporte público tivesse isenção para desempregados e beneficiários do programa Bolsa Família (do governo federal), para que essas pessoas não paguem transporte quando forem procurar emprego. Os beneficiários do Bolsa Família também têm condição econômica desfavorável. Fizemos vários projetos dando condição ao consumidor, uma proteção em relação aos supermercados, para que eles possam ter pelo menos 75% dos caixas funcionando em todos os supermercados. Hoje você chega e tem aquelas filas enormes. Fizemos um projeto estabelecendo que nos feriados também sejam cobrada apenas meia tarifa nos ônibus, assim como acontece aos domingos, para que a população tenha seu lazer também aos feriados.

Tribuna – Como o senhor avalia o governo ACM Neto?

Trindade – Nota zero. O prefeito tornou Salvador um grande salão de beleza. Ele faz maquiagem, mas de prático, de objetivo, que traga resultado para a população, muito pouco. Salvador começou a gestão do prefeito com a maior taxa de desemprego e continua assim até hoje. Ele não conseguiu gerar nenhum novo emprego em Salvador. Faz festas, mas não gera emprego. No final do quarto ano de mandato do prefeito, Salvador não tem um orfanato municipal. Agora que está começando a ser construído um hospital municipal. Em relação às creches, foi uma negação total. A área social foi muito pouca. Teve um aumento crescente do número de pessoas morando embaixo de viadutos, sem nenhum tipo de acolhimento por parte da prefeitura. É aí que eu sempre tenho dito: o único programa social que a prefeitura fez foi o ‘Meu Viaduto, Minha Vida’. São as pessoas a cada dia mais morando embaixo dos viadutos. Na área social o prefeito foi uma negação. Na área administrativa também deixou a desejar de ponta a ponta. O que se viu foram diversos escândalos. Teve escândalo na Secretaria de Gestão, o laranjal que era aquilo. O secretário anterior que criou várias empresas fantasmas e encostou na prefeitura. Você vê problemas na Secretaria de Saúde, com as UPAs de San Martin e São Cristóvão. Você vê licenciamentos ambientais na Operação Verde Limpo. São escândalos em cima de escândalos. E que providência a prefeitura toma? Zero. Nenhuma.

Tribuna – Qual o principal erro e o principal acerto do governo de ACM Neto em Salvador?

Trindade – Eu vejo 99% de erros. Não é por a gente estar fazendo oposição. O gestor quando é eleito tem que priorizar a população do estado ou do município que o elegeu. O prefeito, na realidade, não teve nenhum tipo de atenção à população de Salvador. Fez recapeamento (asfáltico) logo no começo do seu mandato, de depois disso, mais nada. Hoje você vê a vice-prefeita (Célia Sacramento) denunciar à imprensa superfaturamento de obras. O que se vê são coisas realmente aberrantes. E vai continuar aparecendo agora na campanha eleitoral. A vice-prefeita falar que há superfaturamento é um absurdo. Você veja a área social. Foi feito um TAC (termo de ajustamento de conduta) e o prefeito começou a cobrar há mais de um ano os estacionamentos nos shopping centers… Foi feito um TAC dizendo que em troca disso os estacionamentos iriam construir 30 creches, com o valor estimado em R$108 milhões. Qual foi a creche que foi construída? No início da gestão se falou que todos os ônibus de Salvador iam ter ar condicionado para conforto da população. Hoje temos uma frota entre 2,5 mil e 2,7 mil ônibus. Desse total, você tem aí, 40, 50 ônibus com ar condicionado. Isso dá 1,5%. Desses aí, tem algum rodando no subúrbio? Tem algum rodando em Cajazeiras? Tem algum rodando no Bairro da Paz? Não tem. Esses ônibus que têm ar condicionado estão rodando nos bairros nobres de Salvador. A população mais carente ficou completamente abandonada pelo prefeito ACM Neto. Acertos? Estamos a aguardar ainda.

Tribuna – Quais as maiores carências da cidade hoje? O que deve ser colocado como prioridade pelo próximo prefeito?

Trindade – Tomara que mude o prefeito. Porque o prefeito que está aí não gosta da população. O prefeito ACM Neto não tem nenhum gosto em tratar bem a população. A área social está abandonada. Se passou agora quatro anos completamente abandonada a área social em Salvador. Não adiante fazer maquiagem. Tem que estabelecer prioridades. Você gasta 50 milhões (de reais) na Barra e gasta outros 70 milhões no Rio Vermelho. Se você priorizasse isso em creches, faria umas 80 creches. Não existe prioridade na área social. E mesmo assim, quando a prefeitura aplicou dinheiro nessas obras, aplicou de forma errada. Você hoje vê a Barra em total decadência. Hoje não tem um empresário satisfeito na Barra. O que foi que o prefeito trouxe de benefício para a Barra? Nada. Absolutamente nada. É um lugar que ganhou maquiagem, para o turista chegar lá e ver, mas as pessoas que moram em Salvador, o comerciante que está estabelecido na Barra, todos eles estão falidos.

*Osvaldo Lyra e Romulo Faro, da Tribuna da Bahia, parceiro do Jornal Grande Bahia.

Outras publicações

Luiz Carlos Suíca diz que a oposição da Câmara de Salvador “está unida” Luiz Carlos Suíca: "esse é o momento de unir a oposição para pensar um grande projeto para a cidade, que envolve a discussão do PDDU neste ano, a qua...
Wagner é fraco na captação de recursos para a Bahia, e a segurança é o ponto mais negativo de seu governo. Última parte da entrevista do senador ACM Junior ACMJ: Quando você perde as eleições perde-se também aliados e quando você está com possibilidades de vencer, eles voltam. No tocante as eleições muni...
Uneb é homenageada pela Câmara Municipal de Salvador pelos 56 anos de trajetória Sessão Solene da Câmara Municipal de Salvador presta homenagem à UNEB. A Universidade do Estado da Bahia (Uneb), a maior instituição pública de ensi...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br