Aprovado em 1ª discussão Regime Próprio de Previdência Social dos servidores do município de Feira de Santana

O projeto contou com a abstenção do vereador Edvaldo Lima (PP).

O projeto contou com a abstenção do vereador Edvaldo Lima (PP).

De autoria do Poder Executivo, foi aprovado, em primeira discussão e por unanimidade dos edis presentes, o projeto de lei complementar de nº 02/16 que altera a redação do artigo 14 da Lei Complementar de nº 11/2002, com redação dada pela Lei Complementar de nº 28/2006, que institui o Regime Próprio de Previdência Social do município de Feira de Santana. O projeto contou com a abstenção do vereador Edvaldo Lima (PP).

De acordo com o projeto, o artigo passa a vigorar com as seguintes alterações

Artigo 14 – As contribuições previdenciárias de que trata o inciso I e II do art. 13, totalizam em 30,55% (trinta inteiros e cinquenta e cinco centésimos por cento), calculada sobre a remuneração de contribuição dos segurados ativos, compreendido da seguinte forma: 18,75% (dezoito inteiros e setenta e cinco centésimos por cento) relativo ao custo normal e 11,80% (onze inteiros e oitenta centésimos por cento) referentes à alíquota de custo especial, escalonado nos termos do Anexo I desta Lei.

O projeto diz ainda que fica homologado o relatório técnico sobre os resultados da reavaliação atuarial, realizado em maio/2016.

A contribuição previdenciária prevista no artigo 14 na redação dada por esta Lei será exigida a partir do primeiro dia do mês seguinte ao da publicação desta Lei.

O vereador Welligton Andrade (PSDB) afirmou que esse projeto é para atender as necessidades financeiras da Previdência Municipal. “Ele não diz respeito ao contribuinte porque isso é responsabilidade do Poder Público Municipal. O servidor, em momento algum será penalizado. Estamos tirando do erário para cobrir as necessidades desse órgão”, explicou.

O líder do Governo na Casa, vereador José Carneiro (PSDB), ressaltou que esse projeto diz respeito a um escalonamento de aumento no percentual do repasses da Prefeitura Municipal. “A Prefeitura vai, gradativamente, para deixar a Previdência Municipal em 2043 em uma situação confortável. O contribuinte continuará pagando os seus 11%. Esse projeto se adequa às exigências do Ministério da Previdência Social”, disse.

Outras publicações

Feira de Santana: vereadora Eremita Mota destaca que quarto mandato foi obtido com votação expressiva Em entrevista concedida à TV Câmara, a vereadora Eremita Mota (PSDB), que obteve 5.253 votos na última eleição, ressaltou que é muito prazeroso ocupar...
Vereador Justiniano França perde veículo em assalto no bairro dos Capuchinhos, em Feira de Santana Vereador Justiniano França. O presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, vereador evangélico Justiniano França, 52 anos, morador do bairro ...
Editorial: blasfêmia e denúncia na Câmara Municipal de Feira de Santana Vereador David Evangelista Leite Neto (DEM) denuncia distribuição irregular de cargos entre os edis da base do governo municipal de Feira de Santana....

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br