Ombudsman diz que jornal Folha de São Paulo “errou e persistiu no erro” ao ocultar dados de pesquisa

Ombusdman da Folha de S.Paulo, Paula Cesarino Costa, avaliou que jornal errou e persistiu no erro.

Ombusdman da Folha de S.Paulo, Paula Cesarino Costa, avaliou que jornal errou e persistiu no erro.

A ombusdman da Folha de S.Paulo, Paula Cesarino Costa, escreveu no domingo (24/07/2016) em sua coluna que o jornal “errou e persistiu no erro” ao publicar dados incompletos sobre pesquisa Datafolha de avaliação do governo do presidente interino, Michel Temer.

A pesquisa, divulgada no último sábado (16), foi alvo de críticas e acusada pelo site de notícias independente The Intercept, de cometer “fraude jornalística” em relação à preferência do brasileiro sobre a permanência de Michel Temer, a volta da presidenta afastada Dilma Rousseff ou a realização de novas eleições.

Na publicação original, a Folha informou que 50% dos entrevistados preferiam a permanência de Temer à volta de Dilma, e que, diante dessa questão, 3% disseram defender novas eleições. No entanto, quando a possibilidade de novas eleições aparece entre as respostas estimuladas, o percentual de entrevistados que optam por essa alternativa chega a 62%, o que não foi dito pelo jornal.

A Folha só publicou a versão com esse percentual após as críticas e disse que não errou, mas que optou por não destacar cenário considerado “pouco relevante” pela direção do jornal. A ombudsman diz que sugeriu à redação “que reconhecesse seu erro editorial e destacasse os números ausentes da pesquisa em nova reportagem”.

“A meu ver, o jornal cometeu grave erro de avaliação. Não se preocupou em explorar os diversos pontos de vista que o material permitia, de modo a manter postura jornalística equidistante das paixões políticas. Tendo a chance de reparar o erro, encastelou-se na lógica da praxe e da suposta falta de apelo noticioso. A reação pouco transparente, lenta e de quase desprezo às falhas e omissões apontadas maculou a imagem da Folha e de seu instituto de pesquisas. A Folha errou e persistiu no erro”, escreveu a Paula Cesarino Costa na edição deste domingo.

Além da polêmica sobre o trecho da pesquisa que tratava de novas eleições, a ombudsman também critica a escolha do jornal de destacar na manchete sobre a pesquisa o otimismo com a economia, “subaproveitando temas políticos”.

Baixe

Pesquisa Datafolha: avaliação do presidente Michel Temer, realizada de 14 e 15 de julho de 2016

*Com informações da Agência Brasil.

Outras publicações

Começa debate sobre Estatuto da Igualdade Racial Ainda existe muito preconceito entre os brasileiros, apesar da criação da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepir) e da promulgação do Estat...
MPF recomendação a prefeitos para garantir prestação de contas de verbas federais As recomendações se sustentam em três pilares: combate à corrupção, transparência na administração pública e responsabilidade fiscal. Entra mandato, ...
Bahia deixa oportunidades passarem, diz Geddel no comentário à rádio Metrópole O contraste entre os resultados positivos obtidos por estados nordestinos como Pernambuco e Ceará na atração de indústrias em comparação com a ausênci...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br