O governo interino de Temer e os pobres

José Serra e Michel Temer, assunção ao poder através da usurpação legislativa.

José Serra e Michel Temer, assunção ao poder através da usurpação legislativa.

O governo do PT conseguiu tirar da linha da miséria extrema 36 milhões de brasileiros e brasileiras. Este sucesso extraordinário e inquestionável, nunca ocorrido na história deste País, atualmente passa por um processo “onde amanhã pode acontecer tudo, inclusive nada”. Ou seja: tirar o pobre do orçamento da União é um dos objetivos do governo interino.

Os governos do PT tiveram como principal “objetivo social”, colocar os menos favorecidos na escola criando diversos projetos educacionais como PROUNI, SISU, FIES; criou diversas Universidades Federais e escolas de ensino médio em busca da inclusão escolar do jovem; programas de habitação popular como minha casa minha vida e o bolsa família entre tantos outros programas.

Todos estes projetos deram certo, mas o governo interino Temer tem como objetivo não só “Imptimar” a presidente Dilma Rousseff, como tirar os pobres do orçamento; veio decretar o fim de todos os avanços sociais conseguidos nos últimos 12 anos de governo petista.

O governo golpista, em parceria com as Organizações Globo, coloca a culpa das suas medidas impopulares – sempre contra os pobres e redução dos direitos trabalhistas – na crise econômica para justificar os “cortes”. Crise esta que não é só privilégio do Brasil, mas que teve início nos Estados Unidos e países europeus.

Segundo afirmou o Ministro Meireles, “o Brasil andou ‘gastando muito’ com Educação e Saúde. Parece piada, mas não é. É trágico”.

Porém, não explica o Ministro porque não quer mexer nas “contas suíças”, não tem interesse em combater a sonegação e a evasão fiscal e, em pronunciamento do Presidente interino ele disse que: “as maldades vão vir depois” (Sic).

Com um megapacote de reajustes salariais para o funcionalismo federal – Executivo, Judiciário e Legislativo – que vai causar um impacto até 2019 de cifra de R$ 58 bilhões para os que já ganham altos salários, e as maldades ainda virão depois? Imaginem o que ainda está por vir!

Sobre o autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. Saiba mais visitando: http://www.albertopeixoto.com.br