Governo do Estado cria Campus Integrado de Educação Básica em Itabuna e Simões Filho

Reunião do secretário Walter Pinheiro com Arquitetos e Gestores.

Reunião do secretário Walter Pinheiro com Arquitetos e Gestores.

Para fortalecer e potencializar a educação pública na Bahia, a Secretaria da Educação do Estado vai implantar o Campus Integrado de Educação Básica nos municípios de Itabuna e Simões Filho. Trata-se de um modelo de educação que reunirá várias unidades escolares, com projetos pedagógicos articulados. O projeto virtual do Campus Integrado foi apresentado, nesta terça-feira (12/07/2016), na Secretaria da Educação do Estado.

“A ideia é a de que, com o Campus Integrado de Educação Básica, as escolas passem a compartilhar equipamentos, projetos, profissionais e espaços de convivência. O objetivo é ampliar o conhecimento e melhorar os indicadores da educação da Bahia, em mais uma ação do programa Educar para Transformar”, destacou o secretário da Educação da Bahia, Walter Pinheiro.

O Campus Integrado está sendo articulado pela Secretaria da Educação em parceria com as secretarias estaduais da Cultura (Secult) e da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), que participaram da apresentação do projeto nesta terça-feira. Também envolverá as universidades estaduais (UNEB, UESC, UEFS e UFSB), universidades federais e outras instituições.

Pinheiro afirma que o principal objetivo dessas parcerias é aglutinar projetos desenvolvidos por esses organismos e inseri-los nas escolas. “Para promover a verdadeira transformação é necessário fazer essa sinergia com os parceiros e levar os projetos para a sala de aula. A escola precisa estar integrada com as mais diversas áreas, e para isso estamos tirando barreiras e reunindo ações”, afirmou.

A participação da Secti será por meio do projeto Praça da Ciência, conforme explica, Marcos Pereira, assessor de Articulação Institucional. “A ideia é que a Praça seja colocada dentro do projeto pedagógico da escola. O objetivo é aproximar o jovem da Ciência”. Além da Praça da Ciência, o Campus Integrado vai contar com laboratório virtual, núcleo de tecnologia, quadras poliesportivas e espaços de convivência.

A cultura é outro ponto de destaque do Campus Integrado. “Vamos participar com programação artística, formação para professores e para alunos, dinamização de alguns espaços. A ideia é que por meio dessas ações, a gente possa contribuir para a integração do projeto pedagógico da educação básica”, destaca o superintendente de Desenvolvimento Territorial da Cultura da Secult, Sandro Magalhães.

De acordo com Robson Costa, assessor de Articulação da Educação Superior com a Educação Básica, da Secretaria da Educação do Estado, o projeto de implantação do campus vai aproveitar e ressignificar espaços. “O campus são unidades escolares, diversas na sua natureza, integrando o mesmo laboratório, com projetos pedagógicos articulados sem perder as suas identidades e seus fins”, afirmou.

Como desdobramento da reunião de hoje, o Estado formou um grupo de trabalho, que a partir de agora irá alinhar agendas de visitas técnicas nos locais onde os Campi serão implantados.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br