Estudantes conhecem perímetro de irrigação mantido pela Codevasf na Bahia

Estudantes conhecem perímetro de irrigação mantido pela Codevasf na Bahia.

Estudantes conhecem perímetro de irrigação mantido pela Codevasf na Bahia.

Um grupo formado por 41 estudantes e cinco professores do Centro de Ciências Agrárias do curso de Engenharia Agronômica, da Universidade Federal do Piauí (UFPI), esteve visitando no início deste mês o perímetro de irrigação Salitre, localizado no município de Juazeiro, no norte da Bahia. A finalidade foi proporcionar aos alunos noções práticas de atividades nas áreas de fruticultura, irrigação e drenagem, melhoramento genético, tipos de solos e noções de extensão rural.

A programação começou pela manhã no canteiro de obras do perímetro com uma palestra sobre os detalhes de implantação e funcionamento do Salitre e os resultados obtidos através do funcionamento do empreendimento agrícola na região e seu impacto na economia local e até nacional.

Em seguida, o grupo se deslocou até a Estação de Bombeamento principal, onde os técnicos da 6ª Superintendência Regional da Codevasf em Juazeiro explicaram como funciona a captação da água que abastece o perímetro e os componentes da central elétrica que movimentam as bombas de sucção.

Depois, a comitiva foi levada até um lote agrícola para acompanhar a colheita de banana. Nesta oportunidade, houve a realização de uma rodada de debates acerca das características dos principais produtos produzidos no Salitre. No caso da banana, foram discutidos o tipo de solo, o sistema de plantio, o tipo de irrigação utilizado, os cuidados fitossanitários, a produção e a produtividade, sistemas de colheita, transporte, armazenamento e comercialização. Em outro lote, os estudantes, os professores e os técnicos da Codevasf trocaram informações sobre os detalhes da produção e comercialização da manga.

Para o professor Gabriel Barbosa da Silva Júnior, que ministra a disciplina de fruticultura e nutrição de plantas, “vimos produtores com um bom nível técnico, pouco mais elevado do que os do Piauí. Aqui, a gente observa os cuidados com a adubação, todas as culturas são fertirrigadas, o que traz uma maior eficiência na adubação. No caso da bananeira, podas muito bem feitas, com o desfolhamento da planta. Isso traz, com certeza, produtividade, que aqui chega a até 60 toneladas por hectare. Isso é muito vantajoso e acaba trazendo uma maior rentabilidade para esse produtor, diferente dos nossos, que ainda estão atingindo 20 toneladas por hectare”.

A estudante Ana Caroline de Souza Moreira, que cursa o nono período de Engenharia Agronômica, afirmou que o que chamou a atenção foi a “técnica no controle da água e da energia, que é uma questão ambiental. A Codevasf sempre procura novas técnicas para diminuir o impacto do uso da água, e isso é muito importante”.

Ela observa que “aqui os produtores têm um espírito empreendedor, sempre estão procurando um nicho de mercado que agregue mais valor ao seu produto e procuram sempre por novas tecnologias, e ainda possuem um sentimento de união para produzirem mais e melhor”.

Segundo José Gabriel Barbosa Lopes e Júlio César da Silva Santos, técnicos da Codevasf que organizaram e acompanharam a comitiva do Piauí, visitas como essa são constantes todos os anos, principalmente envolvendo estudantes e professores de diversas áreas das ciências agrárias. “O interesse maior é com referência ao método de irrigação utilizado, à produção e à produtividade, já que o Salitre é uma referência nacional na área de fruticultura irrigada, devido à sua economia e eficiência”, afirma José Gabriel.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br