Em 8 de dezembro de 2006, o mais antigo patrimônio de Feira de Santana, Casarão Olhos D’Água, foi entregue à comunidade

Fachada do Casarão Olhos D'Água, em Feira de Santana.

Fachada do Casarão Olhos D’Água, em Feira de Santana.

Fachada do Casarão Olhos D'Água, em Feira de Santana.

Fachada do Casarão Olhos D’Água, em Feira de Santana.

Em 8 de dezembro de 2006, o histórico Casarão Olhos D’Água, localizado na rua Araújo Pinho, foi entregue à comunidade feirense, totalmente recuperado, durante solenidade com as presenças do governador Paulo Souto (DEM) e o prefeito José Ronaldo de Carvalho (DEM). A iniciativa é fruto do projeto FazCultura, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através de parceria com a indústria de pneus Pirelli e a Fundação Alfredo da Costa Almeida Pedra. A restauração do imóvel possibilita o resgate de um importante ícone da história de Feira de Santana. Segundo historiadores, o casarão teria sido a primeira habitação erguida no município pelos fundadores da cidade, o casal Domingos Barbosa de Araújo e Ana Brandão.

A intervenção dos poderes públicos em parceria com a iniciativa privada viabiliza a concretização de um antigo sonho de historiadores, pesquisadores e defensores da cultura. Uma luta que passou a se concretizar a partir do dia 24 de março de 2006, quando o prefeito José Ronaldo assinou convênio viabilizando a recuperação do antigo prédio, que estava em ruínas. Foi recuperado e manteve-se a estrutura original. As paredes foram reconstruídas em adobe, enquanto as seis colunas principais de sustentação das paredes e do telhado foram mantidas em sua forma original, um dos traços principais da época. No período, como não existia cimento, o barro ganhava mais consistência com a mistura de óleo de baleia e ostra.

O prédio possui nove cômodos. São seis quartos, uma sala de jantar, uma cozinha ampla e mais uma sala de visita. O acesso a parte dos quartos é através de um corredor. E no entorno da casa, uma ampla varanda, como na estrutura original. E, para garantir segurança e preservação do imóvel, foi necessária a construção de muro. O imóvel ocupa 500 metros quadrados de área construída. Todas as paredes foram reerguidas com tijolos de adobe fabricados artesanalmente. Da mesma forma, telhados, portas e janelas possuem características rústicas.

Casarão

Construído por volta do ano de 1700 e situado na antiga Fazenda Olhos d’Água, o imóvel de estilo barroco e com aproximadamente 500 metros quadrados de área construída passou por uma recuperação total nos últimos seis meses. O investimento foi de cerca de R$ 250 mil. O Casarão vai abrigar a Fundação Alfredo da Costa e Almeida Pedra, que irá mantê-lo e transformá-lo em ponto turístico de Feira. No local, a fundação também vai oferecer cursos e palestras para a comunidade. “Uma cidade como Feira de Santana tem que preservar a sua história e o seu patrimônio cultural. E foi isso que se fez aqui através da revitalização do Casarão”, disse Souto.

Ao entregar o casarão totalmente restaurado, o governador destacou a importância da iniciativa. “Se é importante voltar os olhos para o passado, também é muito importante voltar para o futuro. Por isso estamos aqui inaugurando a reforma deste importante casarão e, ao mesmo tempo, convocando indústrias de todo o Brasil para vir aqui para Feira de Santana, para aumentar a captação de renda e gerar trabalho para o povo feirense”.

Condecorado pela Câmara Municipal com a Medalha Fundação Senhor dos Passos, o governador agradeceu pela iniciativa. “Reconheço a forma de carinho recíproca que tenho por Feira de Santana e Feira de Santana tem por mim. Por isso, continuarei fazendo tudo para honrá-la”, ressaltou. Ele lembrou ainda que através da parceria com a iniciativa privada, por meio da Pirelli, o Estado promoveu a importante recuperação do casarão. José Ronaldo parabenizou a todos os envolvidos na luta pela recuperação do casarão. “Ao governador é um homem sensível, amante da cultura e da preservação. Só em Feira de Santana, se não fosse o projeto FazCultura, do Governo da Bahia, e a parceria com a iniciativa privada, não teríamos recuperado a Igreja de São José das Itapororocas, a Igreja de Nossa Senhora dos Humildes e a Igreja Nossa Senhora dos Remédios, dentre muitas outras. Este é sempre um momento de importante conquista”.

Fazenda

Olhos D´Água era o nome da fazenda que foi adquirida pelo casal de portugueses, Domingos Barbosa de Araújo e Ana Brandão (Brandoa), por volta do século XVI, uma vez que eles se casaram em 1706, tendo a fazendinha prosperado bastante, devido a grande afluência de vaqueiros e tropeiros que vinham de outras regiões com suas boiadas, descansando nessa localidade, a fim de prosseguirem a viagem.

A Fazenda Santana dos Olhos D´Água foi tomando novas dimensões, tendo os seus proprietários, tendo os seus proprietários doado uma área de terra em 28 de setembro de 1732, medindo cem braços por cem braças para a construção de uma capela, hoje igreja Senhora Santana, por serem muito católicos em homenagem aos santos de sua devoção: São Domingos e Sant´Ana. Começava a nascer ali um ponto obrigatório de tropas, viajantes e tropeiros procedentes do alto sertão baiano e de outros Estados a caminho do porto de Cachoeira, então a vila mais importante da Bahia. Surgia ali um cada vez mais próspero comércio de gado, ao lado de uma feira periódica.

O crescente ritmo de desenvolvimento do povoado exigiu a construção de ruas largas, onde começaram a ser instaladas casas comerciais em grande quantidade, para atender à população que crescia somada a chegada de brasileiros e estrangeiros que adotaram Feira de Santana como moradia. E os séculos foram passando até que a vila foi se transformando na grande metrópole do sertão brasileiro. Esse acelerado ritmo de crescimento levou o povo a reivindicar a criação do município. Era o nascimento daquela que se transformaria na segunda cidade do Estado, 31ª do país e uma vocação para atrair gente de todas as partes do país pela sua localização geográfica, como o entroncamento que une o país, e a hospitalidade do seu povo.

*Com informações de Gutemberg Cruz, da UPB.

Confira imagens do imóvel

Outras publicações

Feira de Santana: Ministério Público arquiva inquérito sobre concessão de licença para aterro sanitário da Viva Ambiental Está arquivado, pela 21ª Promotoria de Justiça de Feira de Santana, um inquérito civil que havia sido instaurado para apurar “indevida concessão de li...
Feira de Santana: caso do diretor Deodato Peixinho x secretário Ícaro Ivvin; a verdade revelada Mário Sepúlveda Sobrinho, profissional da imprensa apresenta relato preciso sobre fatos ocorridos no interior da Secretaria de Serviços Públicos de F...
Feira de Santana: Beco da Energia passa a contar com palco de pneus reciclados Pneus reciclados servem de base para palco no projeto musical 'Beco da Energia'. O Beco da Energia, local que nos últimos meses se consolidou como u...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br