Cleto assinou carta de renúncia para garantir repasse de propina, diz procurador-geral da República

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa Fábio Cleto, um dos delatores da Operação Lava Jato, foi obrigado a assinar uma carta de renúncia, que seria apresentada caso ele não atendesse aos pedidos de repasse de propina.

Segundo Janot, a carta foi apresentada por um sócio do doleiro Lúcio Funaro, preso nesta sexta-feira (01/07/2016) na Operação Sépsis. De acordo com o procurador, logo após ser informado de que Fábio Cleto seria nomeado para o cargo, Funaro o chamou para uma reunião, na qual três vias de uma carta de renúncia ao cargo foram apresentadas ao então vice-presidente da Caixa.

“As três vias da carta, que ficaram com Alexandre Margotto [sócio de Funaro], eram uma espécie de ‘garantia’: caso qualquer solicitação não fosse acatada por Cleto, Funaro apresentaria a carta, levando à renúncia do cargo e à indicação de outra pessoa”, disse Janot.

Em depoimento de delação premiada, Fábio Cleto afirmou que o presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), recebia 80% da propina arrecadada entre empresas interessadas na liberação de verbas do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS).

Defesa

O advogado Daniel Gerber, representante de Funaro, disse à Agência Brasil que o doleiro não tem participação nos fatos. “Lúcio Funaro é inocente das acusações que o delator lhe imputa e irá provar inocência no curso do processo. Assim que tivermos acesso aos autos, esperamos demonstrar este equívoco ao ministro [Teori Zavascki] e ao Supremo Tribunal Federal”, acrescentou.

Em nota, Cunha negou as acusações de recebimento de propina e desafiou Fábio Cleto a provar as acusações.

*Com informações da Agência Brasil.

Outras publicações

Operação Lava Jato: nada será como antes, após acordo de delação de Marcelo Odebrecht e de mais 50 executivos; uma longa noite recobrirá a política nacional O empreiteiro Marcelo Odebrecht, da construtora Odebrecht e mais 50 executivos do Grupo fecham acordo de delação. Após oito meses de negociações, o ...
Defesa diz que José Carlos Bumlai não pode voltar à prisão por problemas de saúde A defesa do empresário José Carlos Bumlai pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki que o pecuarista seja colocado em liberda...
Ministro Ricardo Lewandowski manda juiz Sérgio Moro separar áudios que envolvem ex-presidente Lula e políticos na Lava Jato Ministro Ricardo Lewandowski cassou decisões proferidas pelo Juízo da 13ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Curitiba, em 16 e 17/3/2016, que det...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br