Baiana conta como foi recusada e depois aceita por Stanford

Georgia Sampaio estudou em bons colégios graças ao esforço da mãe.

Georgia Sampaio estudou em bons colégios graças ao esforço da mãe.

Natural de Feira de Santana, na Bahia, e a primeira de sua família a entrar na universidade, Georgia Sampaio estudou em bons colégios graças ao esforço da mãe, que batia na porta de escolas particulares em busca de bolsa de estudos para a filha. Cabia a Georgia se destacar para “justificar” o investimento das instituições. Conheça trajetória dela.

Natural de Feira de Santana, Georgia Sampaio tinha acabado de decidir que iria para Stanford. Até chegar lá, porém, passou por um caminho com muitos “nãos”: os primeiros vieram quando ela foi recusada pelas universidades a que tinha se candidatado na sua primeira tentativa. Os outros foi ela quem disse quando, no ano seguinte, foi aceita por 9 universidades, entre elas Columbia, Dartmouth, Yale e Duke.

“Na primeira vez, no terceiro ano [do ensino médio], não funcionou. Mas foi uma experiência que me ensinou muita coisa na prática: o que eu precisaria fazer e o que precisaria enfrentar para ser aceita”, explica. Com a experiência de ter passado por dois applications e de, hoje, estudar em uma das instituições mais renomadas do mundo, Georgia fala com tranquilidade e bom humor sobre sua história e seus planos para o futuro.

Nesta websérie exclusiva, gravada no Vale do Silício, ela vai contar um pouco sobre sua preparação para a candidatura, suas aulas e atividades em Stanford e o que ela pretende fazer depois que se formar. Uma inspiração esta feirense que, com apenas 20 anos, já tem tantas conquistas para contar.

Com informações do Estudar Fora.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br