Vereador Edvaldo Lima cobra efetividade da Região Metropolitana de Feira de Santana

Edvaldo Lima dos Santos: solicitei que a Região Metropolitana de Feira de Santana saia do papel e funcione com eficiência.

Edvaldo Lima dos Santos: solicitei que a Região Metropolitana de Feira de Santana saia do papel e funcione com eficiência.

Em pronunciamento, na quarta-feira (01/06/2016), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Edvaldo Lima (PP) comentou sobre pauta da Comissão de Territorialidade da Assembleia Legislativa da Bahia, requerimento que dispõe sobre a gratuidade dos banheiros do Mercado de Arte Popular e indicações em benefício do Bairro do Tomba.

Comissão de Territorialidade

“A semana passada estive em reunião com o vice-governador João Leão; a presidente do Diretório Municipal do PP, Eliana Boaventura; e o ex-deputado Jairo Carneiro. Na oportunidade, solicitei que a Região Metropolitana de Feira de Santana saia do papel e funcione com eficiência, como acontece em Salvador. Solicitei, principalmente, porque me preocupo com o transporte intermunicipal de cidades como São Gonçalo e as comunidades do Parque Viver e Jardim Aliança. Levei esta preocupação e o vice-governador já levou ao conhecimento da Comissão de Territorialidade da ALBA, que está em Feira de Santana hoje averiguando a situação, e tenho certeza que ela será solucionada”, pontuou.

Edvaldo disse também que solicitou do vice-governador alguns benefícios para Feira de Santana. “Pedi melhorias na estrada que dá acesso ao distrito de Jaguara; uma passarela na Rodoviária, que em minha opinião ela não comporta mais estar ali; e uma base comunitária para o bairro Aviário, onde há alto índice de violência. Coloquei todos estes pedidos nas mãos dele e espero que o governador tenha sensibilidade e atenda a todos”, anseia.

Em aparte, o edil Tonhe Branco (PHS) afirmou que já está com todos os documentos em mãos para a instalação da base comunitária no bairro Aviário.

Requerimento

Ainda no uso da tribuna, Edvaldo tratou sobre seu requerimento reprovado pelos seus pares na sessão ordinária da última terça-feira (31). O documento solicitava a gratuidade do uso dos banheiros do Mercado de Arte Popular. Para o edil, o equipamento é público, portanto não há razões para a cobrança.

“Então, vou dizer à população que não paguem mais seus impostos. Vou dizer a todos que o Mercado de Arte agora é administrado por uma empresa privada, porque se as pessoas pagam impostos não devem pagar mais nada em equipamentos públicos. Até os comerciantes dali têm que pagar, se não estiverem com suas obrigações quitadas não podem usar os banheiros. Vou continuar cobrando isso do Município e quero dizer ao secretário Borges Júnior que não adianta querer impedir que este vereador adentre em órgãos públicos, porque tenho passe livre em todos eles concedido por Deus e pela população”, disparou o oposicionista.

E, para finalizar, o vereador observou que ele deveria ser elogiado por cumprir seu papel de fiscalizador, e não criticado. “Não deveriam querer me crucificar. Vou continuar cobrando também a reforma da Escola Ana Brandoa; Maria Helena, no bairro Fraternidade; e a reforma do posto de saúde do bairro Tomba”, garantiu.

Edvaldo destaca indicações de sua autoria em prol do bairro Tomba

Durante discurso no horário do pequeno expediente desta quarta-feira (01), na Casa da Cidadania, o vereador Edvaldo Lima (PP) destacou as indicações de sua autoria, apresentadas ao Poder Executivo em benefício bairro Tomba.

“Hoje venho a esta tribuna para apresentar uma prestação de contas à comunidade do bairro Tomba, onde eu moro. Aquela comunidade tem deste vereador a presença constante nas ruas, nas praças, no mercado, no posto de saúde, nas escolas. Aqui, de vez em quando, eu vejo um vereador da base do Governo falando do bairro, mas esqueceu, abandonou o bairro dele, nem no bairro dele está tendo apoio, por isso está fugindo, buscando outras localidades”, disse o oposicionista, sem citar o nome do edil.

Para Edvaldo, é importante que todos os vereadores peçam benefícios para a população. “É importante que não seja ele só, mas que todos os vereadores façam. É uma obrigação de cada um de nós eleitos pedirmos melhorias para toda a cidade de Feira de Santana, vilas, povoados, distritos, resolver o problema da comunidade”, acredita.

Em seguida, o edil apresentou um informativo – produzido pela assessoria dele – detalhando todas as indicações do início do mandato até 2015. “O Governo, mesmo não querendo, teve que fazer a reforma da policlínica. A reforma do Colégio Ana Brandoa está lá perto de acabar, mas a reforma paralisou. A Escola Maria Helena Queiroz, no Fraternidade, está sendo reformada. A praça do Areal e o Mercado do Tomba estão sem fazer reforma. O Município já gastou não sei quanto com as feiras livres, mas não resolveu o problema da praça do Tomba, a praça está abandonada, o mercado de carne abandonado”, pontuou.

Edvaldo Lima informou ainda que solicitou a pavimentação de algumas ruas, mas as melhorias só chegaram à rua São João e Guaratatuba. “As outras ruas não chegaram, inclusive a rua do México, que está cheia de crateras. Peço ao líder do Governo que me ajude, pois os pedestres não têm como passar. Todas as ruas do loteamento Maria Cristina, o prefeito já está lá e já está calçando, mas solicitei que fosse pavimentação com asfalto”, disse.

Em aparte, o vereador José Carneiro (PSDB) se pronunciou sobre o discurso de Edvaldo. “O senhor estava indo muito bem quando falou as obras do Governo e reconheceu que realmente o prefeito trabalha para o povo. Agora, quer atribuir a todas as obras, como pai da criança. O prefeito não apadrinha obras do vereador Edvaldo, e sim faz em prol da comunidade”, declarou.

Retomando a palavra, o oposicionista respondeu ao líder do Governo. “Não estou dizendo que sou o padrinho, mas o senhor sabe que cobro ao prefeito. Vou pedir que o Colégio Ana Brandoa receba melhorias em seu telhado, pois se não trocar o telhado, vai cair na cabeça das crianças. Quando solicitei foi com relação à escola, foi uma reforma geral, mas estou sabendo que na reforma o telhado não está contemplado. O muro já caiu uma parte e já falei sobre isso antes. Se na hora que for inaugurado não tiver resolvido o problema, vou ao Ministério Público”, alertou.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br