São João: saiba como evitar o estresse dos animais de estimação com fogos de artifício

Matéria apresenta dicas de como evitar o estresse dos animais de estimação com fogos de artifício.

Matéria apresenta dicas de como evitar o estresse dos animais de estimação com fogos de artifício.

Fogos de artifício e rojões costumam ser intensificados, principalmente na véspera de São João. O barulho, que já incomoda os humanos, pode assustar e estressar também animais de estimação, como cães e gatos. Esses bichinhos costumam latir e correr com mais intensidade, à procura de um ambiente seguro e tranquilo. No entanto, os médicos veterinários dão dicas de como reverter essa fobia e proteger os animais de estimação (pet) do frio, durante o inverno.

A médica veterinária, Joelma Trigo, explica que “o motivo é a sensibilidade da audição desses animais, potencializada em até seis vezes em relação aos humanos. Alguns cães mostram-se apenas incomodados, mas outros podem desenvolver fobias, entrar em pânico e colocar-se em situações de perigo. Os animais podem fugir apavorados, se perderem dos seus donos ou serem atropelados”.

A especialista conta ainda que, no momento de apreensão do pet, é importante deixá-lo escolher um local na casa em que se sinta mais confortável e que seja seguro. “É fácil perceber quando o cão sofre com sons intensos. Basta observar sinais de ansiedade como tremores, hiperatividade, agressividade, busca por esconderijo, “choro” e latidos intensos”, detalha.

A primeira dica é adaptar cães e gatos ao barulho dos fogos de artifício. “Em volume baixo e repetindo durante o dia, coloque um som similar aos rojões para o pet ouvir. Paralelo a isso, alise o animal, ofereça um brinquedo ou biscoitinho, de modo que ele associe o barulho a algo positivo. Quando perceber que já se acostumou, aumente gradativamente”, explica Joelma. Existem também cds que usam técnicas aprovadas para a prevenção e tratamento de fobias de barulhos e sons que alguns pets desenvolvem. Outra opção interessante são os florais e produtos da linha homeopática que reduzem o estresse, ansiedade e auxiliam no controle do medo de ruídos.

É Importante deixar o animal em ambiente livres de grades e coleiras, de modo que eles não se machuquem durante a queima de fogos. Se os donos, também conhecidos como tutores, forem viajar nesse período junino, é importante não deixá-los sozinhos. “Por conta do barulho, cães e gatos podem fugir. Se não puderem ser levados aos festejos, uma solução é hospedá-los em hotéis para pet”, aconselha a veterinária.

Inverno

Apesar de possuírem pelos, engana-se quem acha que os animais não sentem frio durante os festejos juninos. Devido ao início do inverno, a queda da temperatura também pode causar resfriado. Assim como os humanos, o pet pode contrair doenças respiratórias, causadas por vírus, fungos ou bactérias. Os sintomas mais comuns são crises de tosse, semelhantes a engasgos, espirros, coriza e falta de apetite.

“Para evitar situações de frio e resfriado, é fundamental que o cartão de vacinas do pet esteja atualizado, além de mantê-lo agasalhado e em ambiente arejado. Uma caminha confortável e roupinhas são úteis nesse momento, especialmente nos filhotes e nos animais mais velhos, fases da vida animal que o bichinho sente mais frio”, conclui a veterinária Joelma Trigo.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br