Registrados seis casos de crianças vítimas de queimaduras no HEC

 

Fogueira, fogos de artifício, comidas típicas, danças e brincadeiras juninas. Tudo isso marca o São João no Nordeste, que aconteceu no último final de semana. Porém, neste período de festejos, também ocorrem muitas queimaduras. No Hospital Estadual da Criança (HEC) / Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil (LABCMI) foram registrados seis casos no período compreendido entre os dias 23 e 27 de junho de 2016.

No mesmo período do ano passado foram registrados dois casos. O manuseio incorreto de fogos de artifício é um dos motivos que ocasionam as queimaduras, conforme explica a diretora médica da unidade hospitalar, Dra. Milena Pessoa.

“Há produtos que não podem ser utilizados por crianças de determinadas faixas etárias, a exemplo de bombas e foguetinhos. Esses fogos de artifício, quando usados de forma incorreta, ocasionam queimaduras e até acidentes mais graves. Por isso é importante que os pais e responsáveis observem os produtos que estão comprando para os filhos, se são adequados para a idade deles”, explica.

Outro cuidado a ser tomado com as crianças nesse período está relacionado à inalação de fumaça emitida por fogueiras e fogos, principalmente no que diz respeito às crianças que possuem alergias e/ou problemas respiratórios. “O ideal é que essas crianças não inalem a fumaça, mas, caso isso ocorra, o nariz deve ser lavado com soro e a criança deve ser medicada com remédios indicados por um médico especializado”, adverte.

O consumo de alimentos típicos em locais inadequados como amendoim, bolos e milho também deve ser motivo de preocupação dos pais, conforme a pediatra, pois aqueles vendidos em locais sem medidas básicas de higiene podem ocasionar infecções intestinais e, consequentemente, desidratação.

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.