Parlamentares questionam ausência da deputada Eronildes Vasconcelos no Conselho de Ética, durante votação sobre caso Eduardo Cunha

Deputada Eronildes Vasconcelos Carvalho (Tia Eron) se ausenta da sessão em que está sendo julgado deputado Eduardo Cunha.

Deputada Eronildes Vasconcelos Carvalho (Tia Eron) se ausenta da sessão em que está sendo julgado deputado Eduardo Cunha.

Vários deputados questionaram, há pouco, a ausência da deputada Eronildes Vasconcelos Carvalho (Tia Eron, PRB-BA) na reunião do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, marcada para discussão e votação do parecer do deputado Marcos Rogério (DEM-RO), que pede a cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por quebra de decoro parlamentar.

Segundo o deputado Alessandro Molon (Psol-RJ), causa preocupação a reunião do presidente da República interino, Michel Temer, com o presidente do PRB, Marcos Pereira, nesta segunda-feira (6).

“Pode ser uma mera coincidência, mas é muito ruim para um governo que abriga tantos aliados de Eduardo Cunha que mais essa suspeita paire sobre ele.”

Molon classificou como “história da carochinha” a tese da defesa de que os recursos no exterior não sejam de Eduardo Cunha.

O deputado Chico Alencar (Psol-RJ) espera que a deputada defenda a cassação de Cunha. “Aguardamos ansiosamente a Tia Eron, embora ela tenha dito que votará pela preservação moral da Casa. Vejo que os colegas todos compareceram e ela ainda não chegou”, afirmou.

“Atenção tia Eron, onde estiver, o único voto que tenta fazer defesa do Cunha reconhece que ele mentiu”, disse o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-BA), em relação ao voto em separado apresentado pelo deputado João Carlos Bacelar (PR-BA), que pede a suspensão do mandato de Cunha por três meses.

Tia Eron, que substituiu o primeiro relator do processo no conselho, deputado Fausto Pinato (PP-SP), ainda não marcou presença na reunião. O voto dela poderá definir se o parecer será rejeitado ou não, de acordo com declarações dos outros participantes do colegiado.

O primeiro suplente do bloco parlamentar dela a chegar e assinar presença para votação foi o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), que já se pronunciou contra o afastamento de Eduardo Cunha. No caso de ausência de Tia Eron, caberá a Marun dar o voto pela parlamentar.

Neste momento, os líderes falam sobre o parecer de Marcos Rogério.

Discussão

Houve uma discussão, há pouco, depois de o deputado Zé Geraldo (PT-PA) ter criticado a fala do deputado Wladimir Costa (SD-PA) em defesa do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB), que, segundo Costa, estaria pagando “um preço alto por sua audácia por enfrentar uma articulação criminosa”, ao se referir à gestão do PT no Executivo federal.

“Wladimir Costa está mais sujo que pau de galinheiro. Ele tem umas seis rádios no Pará e usa essas rádios para difamar e extorquir prefeitos”, disse Zé Geraldo.

Costa, por sua vez, voltou a afirmar que o PT é uma quadrilha. “Essa figura asquerosa e indigesta é um dos membros dessa quadrilha”, disse, ao se referir a Zé Geraldo.

A reunião do Conselho de Ética está sendo realizada no plenário 2.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br