Para vereador Eli Ribeiro, críticos da deputada Eronildes Vasconcelos deveriam pedir desculpas

Eliziario Ribeiro da Silva (Eli Ribeiro).

Eliziario Ribeiro da Silva (Eli Ribeiro).

Durante pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal de Feira de Santana, nesta quarta-feira (15/06/2016), o vereador Eli Ribeiro (PRB) ressaltou a posição da deputada federal Eronildes Vasconcelos Carvalho (Tia Eron, PRB-BA) , que votou favorável ao parecer do deputado Marcos Rogério (DEM) pela cassação do mandato do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), durante sessão ocorrida no dia de ontem. Em sua opinião, os edis que questionavam a parlamentar antes da votação, agora deveriam pedir desculpas publicamente.

“Quero iniciar meu discurso falando do partido que mais cresce, o PRB, partido ficha limpa que tem ética, moral e que seus componentes são pessoas de caráter ilibado. Vi nos blogs, ouvi vereadores falando da deputada Tia Eron e, na oportunidade, falaram que ela estava em meio a falcatruas, por isso votaria contra a cassação do Eduardo Cunha”, afirmou.

Eli Ribeiro afirmou que nunca duvidou do posicionamento da parlamentar. “Eu disse que no momento certo, na hora certa, falaria sobre isso. Conhecendo a pessoa da Tia Eron, sabia que o voto dela seria favorável, e gostaria que os vereadores tivessem a hombridade de vir ao microfone para pedir desculpas, porque é uma  deputada séria, que tem uma família e preza pela moralidade deste país”, pontuou.

Em aparte, o vereador Roque Pereira (DEM) comentou o assunto. “Não vou falar na condição de crítica, defendi que não fosse feito um pré-julgamento, mas que ela sairia do anonimato para o estrelato. Ela [Tia Eron] fez a coisa correta votando a favor da cassação, mas gostaria que o senhor levasse o vereador David Neto a uma sessão do descarrego, já que ele ficou na dúvida quanto ao posicionamento da deputada”, disse.

Também em aparte, o edil Correia Zezito (PSL) pediu desculpas à deputada Tia Eron. “Minhas desculpas à deputada, pois fiz  um comentário, mas não sei por que tanta demora, faltou à sessão do Conselho de Ética, ficou pendente isso, por isso duvidamos que ela não fosse favorável à cassação”, justificou.

Retomando a palavra, o vereador Eli Ribeiro disse que a demora em demonstrar seu posicionamento foi uma estratégia de marketing da deputada. “Tia Eron fez o marketing dela, era o momento dela. Como ela teve seu momento, saiu do anonimato, era uma deputada não conhecida e, no momento certo, declarou seu voto. Isso é o trabalho político, quero agradecer ao meu partido, que com certeza, em um futuro bem próximo, estaremos tomando conta do nosso país”, findou.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br