Cursos de saúde da UESB não possuem materiais básicos e podem ter atividades suspensas, denuncia Adusb

Audiência pública realizada em Jequié debateu estrutura e serviços da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

Audiência pública realizada em Jequié debateu estrutura e serviços da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

A Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (ADUSB) avalia que a crise orçamentária na UESB se agrava, e que os cursos de saúde do campus de Jequié correm o risco de não terminarem o semestre letivo por falta de materiais básicos de proteção individual. Segundo a entidade caso isso aconteça, a população jequieense pode ficar sem atendimentos que só são feitos pela Universidade.

No dia (02/06/2016), uma audiência pública foi realizada na Câmara de Vereadores de Jequié pela Adusb, estudantes, Departamentos de Saúde e Afus para denunciar a política de contingenciamento de recursos do governo Rui Costa.

Faltam roupas privativas para atuação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI), reagentes para laboratórios, medidores de glicemia, luvas, toucas e máscaras. Também há ausência de materiais básicos para a higiene como álcool e até mesmo sabão. A situação prejudica a realização das aulas práticas em diversos cursos e coloca em risco a saúde de professores e estudantes. Essa situação acrescida de outros fatores gerou uma notificação da Vigilância Sanitária para um dos módulos de saúde da Universidade, informa a Adusb.

“O coordenador do nosso núcleo no Hospital Prado Valadares desde 2013 vem fazendo esforços tremendos para tentar regularizar essa questão do material e a Universidade não realiza a compra. Todo material que chega é um material de urgência”, afirma o professor do Departamento de Saúde 1 e membro da Comissão de Mobilização do campus de Jequié, Rodrigo Queiroz. O docente acredita que a Universidade não respeita o planejamento orçamentário, pois o núcleo do HPV e outros espaços como as clínicas de Fisioterapia e Odontologia necessitam de abastecimento  contínuo de material. Após avaliação de professores e estudantes, ficou decidido que se os materiais de urgência não forem comprados em breve, atividades de ensino e atendimentos serão suspensos ainda no semestre 2016.2.

Durante a audiência pública dessa quinta-feira (2), a Adusb relacionou o corte de mais de R$ 18 milhões nas verbas de manutenção, investimento e custeio dos últimos três anos à parte do projeto de sucateamento das Universidades Estaduais da Bahia implementado pelo governo do Partido dos Trabalhadores. O Pró-reitor de Administração, Adriano Correia e a Pró-reitora de Graduação, Talamira  Brito  também fizerem a denúncia e apresentaram a grave situação. Ainda assim, a reitoria da UESB vem prestando um desserviço a comunidade ao tentar passar a ideia de normalidade na Instituição.

Professores, estudantes e técnicos solicitaram apoio do Poder Legislativo e da população jequieense na luta pela sobrevivência da UESB, que há mais de 30 anos exerce importante papel no desenvolvimento regional e na construção de conhecimento. A presidente da Adusb propôs à Câmara de Vereadores que encaminhasse para a Assembleia Legislativa da Bahia uma proposta de emenda a Lei Orçamentária Anual, relatando a urgente necessidade de destinação dos 7% da Receita Líquida de impostos para as quatro universidades estaduais. O presidente da casa acatou e buscará o instrumento institucional adequado para fazer o documento chegar nas mãos do legislativo baiano.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br