Codevasf empreende ações para melhoria da qualidade da água do São Francisco e Parnaíba

Sistema de Esgotamento de Lagoa da Prata.

Sistema de Esgotamento de Lagoa da Prata.

Atenta aos problemas sociais e ambientais advindos da falta de tratamento dos esgotos sanitários domésticos, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) investe cerca de R$ 1,8 bilhão em obras de implantação de sistemas de tratamento de esgoto. A implantação desses sistemas contribui para preservação dos mananciais que abastecem os municípios, ajudando a assegurar a qualidade da água da Bacia do São Francisco.

Até o momento, 82 sistemas de esgotamento sanitário já foram concluídos pela Codevasf nas sedes de municípios de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. A previsão é implantar, ao todo, 12 sistemas em Alagoas, 38 na Bahia, 62 em Minas Gerais, 20 em Pernambuco e 7 em Sergipe. Na região do Parnaíba, serão 10 empreendimentos no Maranhão e 16 no Piauí.

“Estima-se que a principal causa da mortalidade infantil nos municípios ribeirinhos é por contaminação por doenças de veiculação hídrica. Com as obras de saneamento básico focadas na recuperação da qualidade da água dos rios e afluentes situados nesses municípios, a Codevasf evita a contaminação desses mananciais por dejetos de esgoto, evitando a morte da fauna aquática e a proliferação de doenças endêmicas para população beneficiada pelo rio. Ou seja, evitamos a poluição ambiental e possibilitamos a recuperação e a preservação da saúde pública”, avalia o diretor da Área de Revitalização da Codevasf, Eduardo Motta.

Em Lagoa da Prata, o sistema de esgotamento sanitário mudou o cenário do município mineiro, trazendo mais saúde para população e melhorias para o meio ambiente. O empreendimento possibilita hoje o tratamento de 100% do esgoto que chega à bacia do rio Jacaré, afluente do rio São Francisco. A conclusão da obra possibilitou a descontaminação dos córregos Chico Félix, Chico Silveira e Chico Messias, na Lagoa Verde, que antes recebiam o esgoto in natura e agora recebem o efluente tratado. O investimento na ação foi de R$ 32 milhões. O sistema é operado pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Lagoa da Prata (SAAE).

“É uma referência das nossas ações porque é uma cidade de 50 mil habitantes onde todos os dejetos eram carreados para a Lagoa Verde e para os afluentes do São Francisco, provocando a morte dos peixes dos rios e prejudicando os pescadores da região. Hoje, nós já observamos a recuperação da Lagoa Verde, que já se encontra com peixes, gerando também o ciclo reprodutivo das espécies daquela região, favorecendo a recuperação da ictiofauna e dos recursos pesqueiros do rio São Francisco”, destaca Motta.

Em Petrolina, município ribeirinho que tem 96 quilômetros de sua extensão banhados pelo rio São Francisco, a Codevasf já investiu R$ 58 milhões na construção de sistema de esgotamento sanitário que está prestes a ser entregue à população. Com as intervenções, Petrolina passará a ser a primeira cidade de Pernambuco a ter o esgoto 100% tratado. De acordo com a gerente regional de Revitalização das Bacias do Rio São Francisco da Codevasf em Pernambuco, Gláucia Oliveira, a obra de Petrolina vai proporcionar benefícios socioambientais para mais de 210 mil habitantes da região.

“É uma ação de suma importância para o município de Petrolina, porque deixaremos de jogar esgoto in natura no Rio São Francisco com isso a população terá melhoria na qualidade do rio para banho e consumo e também valorização das residências dos moradores beneficiados pelo sistema de esgotamento sanitário”, destaca Gláucia Oliveira, gerente de revitalização de bacias hidrográficas da Codevasf em Pernambuco.

Serão contemplados nesta etapa da obra a coleta dos esgotos domésticos do centro de Petrolina e os bairros Jardim Guararapes, Cohab VI, São Gonçalo, Rio Corrente, Parque Massangano, Cohab Massangano, Ipsep, Jardim São Paulo, João de Deus, Ouro Preto, José e Maria, Areia Branca e Manoel do Arroz, que convergirão para a estação de tratamento de esgotos – ETE. Os recursos são da Codevasf em convênio com a Compesa (Companhia Pernambucana de Saneamento), responsável pela execução do empreendimento.

Programa de Revitalização

O Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, cujo objetivo é aumentar a quantidade e a qualidade da água, é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente em parceria com o Ministério da Integração Nacional e outros 14 ministérios. Para o período de 2007 a 2018, o valor previsto para investir nas ações de revitalização é de R$ 2,48 bilhões. Desse montante, R$ 1,8 bilhão será destinado para ações de esgotamento sanitário. O recurso é do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). “Nós temos, no total, 139 empreendimentos que são fundamentais para recuperação da qualidade da água das bacias em que atuamos. Nós possuímos 112 obras que estão sendo executadas diretamente pela Codevasf e trabalhamos também em parceria com as concessionárias estaduais de saneamento básico na execução de 27 trabalhos nos estados onde atuamos”, explica Eduardo Motta.Ouça: https://soundcloud.com/codevasf/diretor-de-revitalizacao-destaca-beneficio-das-acoes-de-saneamento-ambiental

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br