A participação americana no golpe contra o Brasil

Ato organizado pela Frente Brasil Popular contra governo de Michel Temer, em São Paulo.

Ato organizado pela Frente Brasil Popular contra governo de Michel Temer, em São Paulo.

Há alguns anos passados os Estados Unidos da América, na época governado por George Bush Jr., invadiu o Iraque e deflagrou uma guerra contra aquele país. A operação foi batizada como “Operação Liberdade” e tinha como objetivo exterminar o terrorismo da região do Golfo Pérsico. A invasão durou apenas 21 dias.

Na realidade, esta Operação Liberdade não visava somente libertar o Iraque do terrorismo, mas também tinha como objetivo “administrar” os poços petrolíferos que estava sob o domínio do ditador Saddam Hussein, sendo que, era impossível aos americanos negociarem com este tirano.

Atualmente no Brasil, ocorre uma situação semelhante à guerra do Iraque. Temos o pré sal com bastante petróleo, diversos outros campos petrolíferos e a Petrobras, como sendo uma das maiores empresas do mundo neste segmento. Nossas jazidas, tem despertado a cobiça dos Estados Unidos da América e de diversos outros países.

Diferente do Iraque, no Brasil está sendo usado o método da “Guerra Fria”, com a coparticipação dos políticos corruptos, o que não falta neste país, e do apoio maciço, criminoso, das Organizações Globo de Comunicação dos irmãos Marinhos e do PIG.

Diante destes fatos, resta agora ao povo brasileiro a participação nas ruas, protestando pacificamente contra este golpe que ainda está em andamento. Mesmo com a imprensa internacional contra o Governo Interino de Temer, Michael Fitzpatrick, Embaixador dos Estados Unidos na OEA – Organização dos Estados Americanos – rebateu as acusações dos países da América do Sul em relação à queda do governo Dilma.

Para ele, o processo de Impeachment contra a presidente Dilma Rousseff está respeitando as normas democráticas. Os Estados Unidos é o único país a rejeitar com veemência a tese de que há um golpe em curso no Brasil achando ainda, que a democracia brasileira está cada dia mais fortalecida.

Esta colocação do Embaixador Michael Fitzpatrick pode ser classificada como uma confissão de culpa. O Golpe contra a Presidente Dilma Rousseff, com certeza, também tem o patrocínio dos Estados Unidos da América. “É preciso que se tenha muito cuidado”. Não podemos ficar com a boca escancarada, cheia de dentes, sentado no trono de um apartamento esperando a morte chegar. (digo: os gringos chegarem).

É fundamental as manifestações de ruas.

Sobre o autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. Saiba mais visitando: http://www.albertopeixoto.com.br