Talento e improviso marcam tom do Festival Salvador Jazz 2016

Cantor Armandinho.

Cantor Armandinho.

Nomes como Armandinho e Hamilton de Holanda estão entre as atrações do evento de música instrumental, que acontece nesse final de semana. Shows de música instrumental em praça pública diante da beleza do Largo da Mariquita, no Rio Vermelho. Será assim o Festival Salvador Jazz 2016, realizado neste sábado e domingo 7 e 8 de maio de 2016, chegando em sua segunda edição, sob a organização da Empresa Salvador Turismo (Saltur). E entre os grandes nomes da música instrumental não poderiam faltar Armandinho e Hamilton de Holanda, que sobem juntos ao palco numa parceria que deve impressionar o público, seja pelo talento de ambos ou pela improvisação.

“É bacana poder levar a música instrumental ao público em espaço aberto. Já tenho um trabalho instrumental que vem de criança, que já trago desde a época de meu pai. A Bahia tem pouco espaço para a música instrumental, mas têm grandes instrumentistas, e cada vez que se abre essa possibilidade levamos o gênero ao conhecimento geral, para um público de todas as idades”, conta Armandinho, revelando que apresentará repertório já conhecido, como “A Cor do Som” e algumas músicas do baião e frevo, entre outros ritmos brasileiros.

Junto a Hamilton de Holanda, tudo pode acontecer. Deve imperar no palco o improviso, algo que motiva a ambos. “Armandinho é uma referência para mim. Tive a sorte de conhecê-lo quando ainda tinha sete ou oito anos de idade. A ideia é manter a essência do que é o jazz, do que é a música instrumental, a partir da improvisação para que seja uma surpresa para o público, mas que a gente também se sinta surpreendido porque os solos acontecem na hora, com aquela inspiração do momento. A ideia é essa, poder curtir o momento”, afirma o bandolinista Hamilton de Holanda.

Faltando poucos dias, o músico já está entusiasmado com a apresentação sabendo da recepção que terá do público baiano. “A Bahia é muito generosa e tem esse carinho com a música instrumental, haja vista a história do trio elétrico, iniciada com a música instrumental de Dodô, Osmar e Armandinho. É louvável e importante a existência desse tipo de festival, e me dá ânimo chegar numa cidade que tem essa veia artística tão forte, tão marcante. Espero que o público também compareça e curta esse festival, que será uma maravilha”.

No sábado (07), entre as parcerias que darão o que falar está o show da Orquestra Afrosinfônica, que convidará para se apresentar no mesmo palco o compositor, arranjador, produtor musical e guitarrista Toninho Horta. Além deles, os Skanibais convidam a famosa banda instrumental Retrofoguetes. Ainda no sábado, tocam o Baia Brass Musical, Janela Brasileira e Gabi Guedes Pradarrum, que sobe ao palco ao lado do tecladista de renome nacional Donatinho.

O Sexteto 1 de Cada dá início às apresentações do último dia de festival. Na ocasião, mais duas parcerias se concretizam no palco do Rio Vermelho. A Mou Brasil convida o famoso trombonista Raul de Souza. E o baiano Armandinho convida o bandolinista e compositor Hamilton de Holanda. Por fim, o musicista e maestro Letieres Leite toca ao lado de quinteto musical. O grupo SSA – Sol Soteropolitano Ambulante animará o público nos dois dias do Festival, com apresentações nos intervalos das bandas.

Agenda

07 de maio – 16h30 à 0h

Orquestra Afrosinfônica e Toninho Horta

Gabi Guedes Pradarrum e Donatinho

Skanibais e Retrofoguetes

Janela Brasileira

Baia Brass Musical

SSA – Sol Soteropolitano Ambulante (nos intervalos dos shows)

08 de maio – 16h30 às 22h30

Armandinho e Hamilton de Holanda

Mou Brasil e Raul de Souza

Letieres Leite & Quinteto

Sexteto 1 de Cada e Joatan Nascimento

SSA – Sol Soteropolitano Ambulante (nos intervalos dos shows)

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br