Síria: padrão de destruição sistemática é evidente em Alepo

Campo de Tesreen Camp, em Alepo, na Síria.

Campo de Tesreen, em Alepo, na Síria.

Avaliação é do subsecretário-geral da ONU para Assuntos Políticos; em encontro no Conselho de Segurança, Jeffrey Feltman afirmou que “nenhuma esquina da cidade foi poupada”.

Em reunião no Conselho de Segurança das Nações Unidas esta quarta-feira, o subsecretário-geral da ONU para Assuntos Políticos fez um alerta.

Jeffrey Feltman afirmou que o “padrão de destruição sistemática” é “evidente” em Alepo, na Síria, e que “nenhuma esquina da cidade foi poupada”.

Bombardeios

Ele afirmou que bombardeios aéreos do governo no local nas últimas semanas representam “alguns dos piores da guerra”. Bombardeios da oposição a bairros controlados pelo governo também levaram à “morte e destruição”.

Segundo Feltman, há um “perigo claro” de que esses ataquem continuem e possam se espalhar para além de Alepo.

Suspensão de Hostilidades

Ele mencionou a declaração divulgada pelo Departamento de Estado americano de que Estados Unidos e Rússia concluíram preparativos para estender a Suspensão de Hostilidades à cidade.

O subsecretário-geral fez um apelo para que os evolvidos respeitem este plano imediatamente e de forma abrangente.

Crime de Guerra

Ao mesmo tempo, Feltman ressaltou que “negar às pessoas acesso à ajuda humanitária essencial é uma séria violação da lei humanitária internacional” e usar a fome como arma durante conflito é um “crime de guerra”.

Para ele, nenhuma causa pode justificar o número de vítimas civis que continua sendo registrado no país todos os dias.

Tribunal Internacional

O subsecretário-geral da ONU afirmou que todas as partes do conflito, estatais e não-estatais, têm estrita obrigação de respeitar as regras do direito humanitário internacional.

Feltman lembrou aos integrantes do Conselho, o pedido do secretário-geral para que a situação na Síria seja levada ao Tribunal Penal Internacional e ressaltou: “os responsáveis por crimes de guerra devem prestar contas”.

Situação Humanitária

O subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários também participou do encontro.

Stephen O’Brien também defendeu o fim da “carnificina” em Alepo e no resto da Síria e a necessidade de não desperdiçar a oportunidade das negociações em Genebra.

O’Brien afirmou estar “horrorizado” com mais mortes e destruição na cidade.

Segundo ele, nos últimos dez dias, “ataques indiscriminados” e o uso de explosivos em áreas populadas por forças do governo e seus aliados, grupos armados de oposição e grupos terroristas se intensificaram afetando, principalmente, civis inocentes.

Ataques a Centros Médicos

Em seu discurso, o chefe do Escritório da ONU para Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha, destacou ataques a instalações médicas, que chamou de “indesculpáveis” e “profudamente perturbadores”

O’Brien afirmou que estes “ataques terríveis” não somente matam pessoas inocentes, mas têm um efeito multiplicador porque, deixam dezenas de milhares sem acesso a serviços básicos.

*Com informação da Rádio ONU.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br