Salvador: estudantes e famílias comemoram 62 anos do Instituto Pestalozzi

62 Anos do Pestalozzi.

62 Anos do Pestalozzi.

Os 62 anos do Centro Estadual de Educação Pestalozzi da Bahia, no bairro de Ondina, em Salvador, foram comemorados, nesta terça-feira (24/05/2016), por professores, educandos e as famílias. A data foi marcada com música e bolo, além da uma rede de serviços: Audiometria, Dança, Educação Física, Enfermagem, Estética, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Odontologia e Pilates, realizados por meio de parceiros da unidade da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, que beneficia 218 alunos com atendimento educacional especializado.

Foi um dia inesquecível para Antônia Reis, 9 anos, que teve um “dia de princesa” no espaço de estética. “Hoje, estou tendo o meu dia de princesa! Ela é a minha massagista particular. Fico feliz quando estou no Pestalozzi, porque gosto de eventos musicai e informática”, comenta a estudante que é autista. A mãe Leonice conta que elas moram no município de Inhambupe (a 170 km da capital baiana) e, uma vez por semana, traz a sua filha ao instituto. “Ela chegou aqui aos três anos de idade. Era não verbal, não aceitava o toque, não interagia. Hoje, fala, canta, interage, é muito carinhosa, vive beijando e abraçando as pessoas e tem a maior facilidade para aprender inglês”, comenta.

Já o estudante David Conceição dos Santos, 15 anos, por sua vez, era puro contentamento com o ‘cafuné” que recebia da esteticista. A mãe de David, dona Zeneide Conceição dos Santos, que acompanha o filho diariamente, destaca a importância da educação especial para o desenvolvimento dele. “Aqui é a minha segunda casa. Os professores e o diretor são excelentes, sempre muito atenciosos e acolhedores. Meu filho desenvolveu bastante, melhorou muito o comportamento e o aprendizado na escola regular”. A professora do Pestalozzi, Rosemeire Oliveira, elogia. “David já faz contas de Matemática, aprendeu a escrever e melhorou o equilíbrio corporal e a motricidade”.

“A existência do Pestalozzi por seis décadas é a prova de que todos são capazes de aprender. Estamos na luta permanente pela inclusão dos direitos das pessoas com necessidades especiais, tendo como público alvo as pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), lembrando que quando o centro surgiu em uma época de muita exclusão”, afirma o diretor Ricardo Baqueiro. “Faço parte desta escola de atendimento educacional especializado e a nós, professores, cabe o papel de suporte para que os alunos tenham um bom desempenho na escola regular”, completou a professora Edmeire Costa.

Educação Especial

A rede estadual de ensino trabalha com Educação Especial na perspectiva da educação Inclusiva, com Atendimento Educacional Especializado (AEE). O Centro de Atendimento Educacional Especializado Pestalozzi da Bahia é uma das unidades que atendem a estudantes com Transtorno do Espectro Autista (TEA). A participação dos pais, mães, responsáveis e cuidadores, no acompanhamento da vida escolar dos filhos, é estimulada com diferentes atividades nas áreas de arte, educação física, horta, informática, jogos pedagógicos, letramento, música e oficina de convivência.

A rede estadual possui 12 Centros de Educação Especial e seis instituições conveniadas, atendendo a 3.037 estudantes com deficiência. No entanto, todas as escolas podem receber estudantes com deficiência, a partir da solicitação dos pais ou responsáveis. A rede conta com 68 Salas de Recursos Multifuncionais, que oferecem recursos multimídia e material didático para produzir conteúdos.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br