Salvador é única cidade brasileira selecionada em projeto da Fundação Rockefeller

Fundação Rockefeller é uma fundação criada em 1913 nos Estados Unidos da América. Ela tem a missão de promover, no exterior, o estímulo à saúde pública, o ensino, a pesquisa e a filantropia.

Fundação Rockefeller é uma fundação criada em 1913 nos Estados Unidos da América. Ela tem a missão de promover, no exterior, o estímulo à saúde pública, o ensino, a pesquisa e a filantropia.

Um investimento de US$ 1 milhão para aplicação em um plano de infraestrutura, apoio técnico e troca de experiência com diversas metrópoles mundiais. Estes são alguns dos benefícios que Salvador passa a ter a partir da seleção que colocou a capital baiana no grupo “100 Cidades Resilientes”, da Fundação Rockefeller, que há mais de uma década investe em cidades de todo o planeta com o fornecimento de recursos técnicos e financeiros visando a implantação dos chamados planos de resiliência urbana, que tratam do soerguimento de grandes metrópoles que precisam encontrar soluções para adversidades, por meio de atuação em pontos frágeis específicos de cada lugar. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (25/05/2016) pela fundação.

Salvador será a única entre as 37 novas cidades-membros a ingressar nessa rede global, conforme foi anunciado no último dia 25. Juntamente com Porto Alegre e Rio de Janeiro, que foram escolhidas nas rodadas anteriores, Salvador será o terceiro membro brasileiro da 100RC. Buenos Aires e Montevidéu são as únicas cidades sul-americanas a integrar o seleto grupo. No caso de Salvador, o foco será na questão das chuvas e dos deslizamentos, que têm sido um grande entrave ao desenvolvimento social ao longo dos anos, além de causar prejuízo material e a perda de vidas. A capital baiana será assistida com recursos e apoio técnico durante um ano e, a partir daí, terá que colocar em prática as ações desenvolvidas pelo grupo de trabalho.

O trabalho desenvolvido é um facilitador para que as cidades compartilhem e aprendam métodos próprios para tratar de problemas locais a partir de soluções e ideias já testadas (ou em análise) nos demais integrantes da rede. Isso porque essas metrópoles podem ainda não possuir o preparo adequado para lidar com grandes catástrofes climáticas, problemas sociais ou de saúde pública. Cada metrópole selecionada receberá US$ 1 milhão, que deve ser investido na formação de equipes. Ao todo, a iniciativa global prevê investimentos de US$164 milhões. Essas equipes serão gerenciadas por um diretor-geral de Resiliência, que em Salvador tem o secretário de Cidade Sustentável (Secis), André Fraga, como indicado.

A rede de Resiliência da Rockefeller Foundation atua há mais de uma década nos cinco continentes, com foco especial em regiões carentes da África e Ásia, exatamente para fomentar essa interlocução entre cidades. O anúncio faz parte do compromisso da fundação de criar uma rede de 100 cidades do mundo todo, através da qual já foram organizadas três rodadas que receberam mais de 1 mil inscrições. A escolha de Salvador foi baseada principalmente nas iniciativas adotadas pela cidade para enfrentar os desafios de uma infraestrutura antiga e preparar seus cidadãos para lidar com os choques repentinos – tais como enchentes – que vêm aumentando no século XXI. O programa 100RC permite às cidades projetar, implantar e gerenciar soluções proativas para os desafios criados pela urbanização, globalização e mudanças climáticas.

“Os jurados buscaram prefeitos inovadores, um elemento catalisador de mudanças recentes, um histórico de parcerias e a habilidade de trabalhar com uma grande variedade de stakeholders (‘partes interessadas’, em português)”, afirmou Michael Berkowitz, presidente da 100RC. “Salvador preencheu todos esses requisitos e ainda mais. Essa escolha também representa o compromisso da nossa organização com os cidadãos do Brasil, que têm mostrado muita determinação para enfrentar os desafios atuais”, acrescentou Berkowitz.

“Esta é uma notícia fantástica. Nossa cidade vem enfrentando muitos desafios, como acontece em todo o Brasil nestes dias difíceis, mas são essas dificuldades que têm nos estimulado a agir com maior determinação. Conseguimos, portanto, inovar a gestão pública e buscar parceiros que possam compartilhar conhecimentos e trazer novas soluções. Com isso, estamos encontrando novas formas de trabalhar para resolver problemas antigos e animados com os recursos, competências e parceiros que poderão colaborar com a cidade a partir de agora, graças à 100RC. Salvador é uma cidade rica em patrimônio e tradições, mas seguimos confiantes e focados na nossa modernidade. Em Salvador, estamos criando uma cidade para que os nossos cidadãos possam ascender às efetivas oportunidades de um Brasil do século XXI”, concluiu o prefeito ACM Neto.

Resiliência

John Thackara define o conceito de resiliência omo a ‘medida da persistência dos sistemas e de sua capacidade em absorver mudanças e perturbações e ainda manter as mesmas relações entre populações ou variáveis de estado’ (Holling, 1973). Um sistema resiliente é formado pela interação dinâmica entre forças determinísticas e eventos aleatórios, fatores estruturais e a ação humana, caminhos lineares e contingência. Tal heterogeneidade e variabilidade permitem aos sistemas resilientes absorver choques imprevistos, continuamente se adaptando e evoluindo de forma a resistir ao colapso.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br