Salvador: Casa do Benin traz programação com arte, dança, capoeira

Cena do 'Espetáculo Mama África'.

Cena do ‘Espetáculo Mama África’.

Todas as segundas e quartas-feiras, das 10 às 12h, no Espaço Jeje-Nagô, em Salvador, ocorre aula de Dança Afro: Corpo, Ritmo e Ritual em Estudo – Direcionado a amadores e interessados no campo das tradições africanas, dança e terapia, o curso é orientado por professores especialistas na área, com o objetivo de fortalecer sempre o indivíduo no grupo e, apoiar o participante a desenvolver sua própria metodologia híbrida a partir da lógica dessas danças.

A Associação Cultural Capoeira Gangara, com coordenação deFranciane Simplício, promove aula de capoeira todas as terças e quintas, das 19 às 21h, no Espaço Jeje-Nagô.

O Projeto Made in Bahia – Slleyk Bahia Dance, uma ligação entre Salvador e Los Angeles, promove um intercâmbio entre a nossa cultura e a cultura de outros países, através de aulas de dança, teatro e música. Todas as terças e quinta-feiras, no Espaço Jeje-Nagô, das 13 às 17h.

Até o dia 31 de maio de 2016, o artista Thiago Bols apresenta suas “Prima donas – madonas e donas do brasil”. A exposição propõe revisitar a poética do feminino universal através de uma ótica regional e nacionalista, com foco na herança cultural afrodescendente.  De segunda à sexta, das 10 às 17h, na Sala Lina Bo Bardi.

O Grupo de Teatro “Os insênicos”, formados por atores portadores de transtornos mentais, continuam seus ensaios fechados todas as quintas-feiras, das 09 às 12h, no Espaço Jeje-Nagô.

Dia 25, o programa de arte-educação da Casa do Benin A Casa Vai À Escola, apresentará uma temática especial em comemoração ao Dia da África (25) e ao Centenário do Mansu Banduquenqué ou Terreiro Bate Folha, importante instituição religiosa de Salvador  constituída a partir das raízes históricas dos povos bantu, oriundos do Congo e Angola que foram trazidos para o Brasil no período inicial da escravidão brasileira. Este terreiro possui a maior área urbana remanescente da Mata Atlântica, aproximadamente 15,5 hectares. Foi tombado pelo IPHAN em 10 de outubro de 2003. O Terreiro completará 100 anos de fundação em Dezembro de 2016. A instituição selecionada foi a Escola municipal são miguel, situada na Mata Escura, mesmo bairro do terreiro. A comunidade escolar dessa localidade vive um momento tenso devido ao alto índice de violência na região. Os estudantes estão expostos a uma realidade preocupante. Com isso, o projeto pretende elevar a autoestima desses jovens em parceria com o Grupo Teatral Ubuntu africanias através das atividades de arte-educação que a Casa promove e abordagens sobre a importância da vegetação que caracteriza o próprio terreiro e o nome do bairro Mata escura. Será enfatizada a importância ambiental e ecológica além da valorização da vegetação nas Culturas Afro-brasileira e Indígena. A data é ideal para estimular a reflexão sobre a cidadania afro-brasileira.

Aula de Dança Afro     

Quando: Segundas e quartas, das 10 às 12h.

O que: Aula de Dança Afro: Corpo, Ritmo e Ritual em Estudo

Onde: Espaço Jeje-Nagô

Aula de Capoeira

Quando: Terças e quintas, das 19 às 21h

O que: Aula de Capoeira

Onde: no Espaço Jeje-Nagô

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br