PT não irá apoiar candidatos que defendem impeachment, diz Rui Falcão

Reunião da executiva do PT no hotel San Marco em Brasília. Presidente nacional do PT, Rui Falcão, diz que partido não irá apoiar candidatos que defendem impeachment de Dilma Rousseff.

Reunião da executiva do PT no hotel San Marco em Brasília. Presidente nacional do PT, Rui Falcão, diz que partido não irá apoiar candidatos que defendem impeachment de Dilma Rousseff.

O presidente do PT Rui Falcão disse hoje (17/05/2016), em Brasília, que o partido não apoiará candidatos que defendem o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. “O PT não apoiará candidatos que votaram pelo impeachment ou que apoiaram publicamente o impeachment”, disse Falcão, após reunião do diretório do partido, no hotel San Marco, em Brasília.

Rui Falcão, no entanto, não afastou a possibilidade de o partido fazer alianças com peemedebistas nas eleições municipais. “O PMDB é um partido enorme, teve uma participação na luta democrática no passado. Certamente que, Brasil afora, deve ter pessoas confiáveis [no PMDB]. […] Se alguém do PMDB quiser participar conosco e não tenha apoiado o impeachment, priorize programas sociais e combata a corrupção, não vejo problema nenhum”, disse. PMDB é o partido do presidente interino Michel Temer.

O Diretório Nacional do partido elaborou uma carta com diretrizes para os próximos episódios da política brasileira, como o julgamento do processo de impeachment de Dilma no Senado e as eleições municipais de outubro.

Dilma Rousseff

Rui Falcão disse que o partido vai se voltar à defesa da presidenta afastada Dilma Rousseff e firmar sua posição de que o processo em curso é um “golpe”. “Temos em consenso que o centro da tática é ‘não ao golpe’ e ‘fora Temer’”.

Falcão disse que serão programadas “ações de convencimento junto aos senadores” e vários atos de rua. Um deles está marcado para o próximo dia 1º de junho. O presidente do PT ainda disse que espera que o processo de impeachment, aberto no Senado, não seja apressado de forma a tirar o direito de defesa de Dilma.

Governo de Michel Temer

Rui Falcão disse não reconhecer o governo do presidente interino Michel Temer e fez críticas à nova gestão. “De forma geral, notamos o caráter machista e restritivo da composição do governo usurpador. Nenhuma mulher, nenhum negro e vários ministros sendo investigados por denúncias de corrupção. […] Não reconhecemos esse governo fruto de golpe, ilegítimo. Estamos mobilizados para impedir a retirada de direitos conquistados e queremos a volta da presidenta eleita legitimamente”.

Os integrantes do PT criticaram as recentes declarações do ministro da Saúde, Ricardo Barros, de que o tamanho do SUS deveria ser revisto por falta de recursos, e do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, de que a forma de escolha do Procurador-Geral da República poderia ser mudada. Os ministros falaram depois sobre as declarações.

Lula

O presidente do PT ainda sinalizou que o ex-presidente Lula terá um importante papel no Congresso durante o processo de impeachment da presidente afastada. “Ele foi a maior liderança popular que o Brasil já criou e continua sendo. E ele vai ter um papel importante agora, seja no papel de convencimento dos senadores, seja na orientação da oposição e fortalecimento do repúdio ao golpe”.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br