Parque Tecnológico da Bahia é ponto de coleta de lixo eletrônico

Sede do Parque Tecnológico da Bahia em Salvador.

Sede do Parque Tecnológico da Bahia em Salvador.

Quem deseja descartar itens velhos ou inutilizados de informática, a exemplo de monitores, estabilizadores, cartuchos e mouses, pode se dirigir ao Parque Tecnológico da Bahia, vinculado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (Secti). Desde outubro do ano passado, o local se tornou um dos pontos de coleta de lixo eletrônico da capital baiana, recolhendo quantidades significativas de material, que são, posteriormente, reciclados.

O material é depositado em uma caixa coletora instalada na recepção do Tecnocentro, principal edificação do Parque, em horário comercial (8 às 18h), em dias úteis. Mensalmente, o lixo eletrônico acumulado é encaminhado para a Cooperativa de Coleta Seletiva Processamento de Plástico e Proteção Ambiental (Camapet). De acordo com a presidente da Camapet, Michele Almeida, “o procedimento possibilita que itens, antes inutilizados, se tornem novos equipamentos eletrônicos ou mesmo sejam transformados em bijuterias, colaborando com o incremento de renda dos cooperados”.

O coordenador de Gestão do Parque Tecnológico, Péricles Magalhães, destaca que entre as vocações do equipamento está a de “responsabilidade ambiental e sustentabilidade. Muitas empresas que estão no Parque lidam com Tecnologia da Informação e materiais que se tornam obsoletos rapidamente”. Péricles reforça ainda que, desde a instalação, a caixa nunca esteve vazia, demonstrando o sucesso da iniciativa.

A ação é resultado de uma parceria entre a Coordenação de Gestão do Parque e o programa Recicle Já Bahia, iniciativa da Superintendência de Construções Administrativas da Bahia. A coordenadora do programa, Vanuza Gazar, afirma que “o equipamento é um local propício para abrigar uma caixa coletora pela natureza das atividades lá desenvolvidas”.

Além do Parque Tecnológico (R. Mundo, 121 – Trobogy), outros nove locais – a maioria no Centro Administrativo da Bahia – possuem caixas coletoras do Recicle Já Bahia. São eles: Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR); Secretaria de Desenvolvimento Urbano/Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação; Secretaria de Administração do Estado da Bahia; Governadoria; Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb); Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia); Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema); Justiça Federal e Companhia Baiana de Pesquisa e Recursos Minerais (CBPM).

Novidade

A previsão é que, dentro de um mês, o Parque também passe a receber pilhas e baterias – normais e alcalinas -, consideradas lixo tóxico, pois registram presença de mercúrio (0,025%-1%). Este material, se não for descartado de maneira adequada, libera um líquido nocivo que não é biodegradável e não se decompõe, podendo causar a contaminação do solo.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br