O prazer de viver a dois: uma responsabilidade do casal | Por Tatiana Leite

Artigo aborda convivência a dois.

Artigo aborda convivência a dois.

Você já pensou que compromissos, responsabilidades e as inúmeras obrigações do dia a dia, são fatores capazes de matar um relacionamento estável. Não é fácil manter a leveza e a diversão quando assumimos tantos papéis sociais. Mas, como os casais podem construir uma vida excitante juntos?

Uma vez que você já encontrou seu parceiro e está em um relacionamento duradouro, o desafio é manter a relação interessante para os dois, primeiro para nós mesmos e, em seguida, para nosso parceiro. Temos a tendência de achar que o outro é responsável pelo sucesso ou fracasso do relacionamento, mas se você fizer uma rápida reflexão irá perceber que seu parceiro não pode resolver o que não resolvemos com nós mesmos. É preciso conversar, entender o que está faltando para cada um e qual o motivo da insatisfação.

Muitas vezes, casais em relacionamentos longos acabam caindo na rotina e, por isso, encontram dificuldades para se reconectar com a paixão e acima de tudo, para manter o afeto e o desejo na medida em que os anos passam e o relacionamento amadurece. Para evitar que a paixão enfrie é importante prestar atenção em alguns aspectos.

Um bom exemplo, que serve de termômetro para a paixão, é aquilo que acontece na cama. Com o passar dos anos, o sexo pode ficar rápido e sem envolvimento, alguns dizem que é como se fosse algo mecânico, feito apenas por obrigação ou necessidade. Assim, vamos utilizar o sexo como metáfora no relacionamento. Muitos casais são atenciosos um com o outro, privilegiam o convívio familiar, mas não reservam um tempo para ficarem a sós, talvez até por acreditarem que o desejo vai continuar ao longo dos anos, sem que se faça nada para estimular. Ambos se acomodam e param de conquistar, o sexo acontece de forma previsível. O resultado: diminuição do prazer e da satisfação sexual.

Manter a vida sexual interessante é sim um desafio, ainda mais porque passamos por muitas mudanças a medida dos anos, o corpo muda, assim como as exigências e preocupações. O sexo vai perdendo espaço na intimidade do casal. Contudo, você pode resolver essa questão se reconectando com suas paixões. Volte a fazer algo que deixou de fazer e que te dava muito prazer ou alguma coisa que nunca fez, mas que sempre se imaginou realizando. Você precisa se entusiasmar, se sentir completa. Ao se sentir bem consigo, você estará encorajando seu parceiro a fazer o mesmo. Fica mais fácil amar quando se tem outros objetos de desejo. Esse distanciamento é necessário para a manutenção da relação e irá ajuda-los a se conectarem, sentir vontade de estar juntos.

O tédio e a monotonia são inimigos do casal, os dois juntos na rotina matam o desejo e a paixão. Cada um deve se responsabilizar pela sua parte e, juntos, precisam estimular a vontade de estarem juntos.

*Por Tatiana Leite é terapeuta de casal e família com especialização em Sexualidade Humana.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br