Nomeados os membros da equipe que acompanhará a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Alvorada

Diário Oficial da União com a publicação dos nomes da equipe que acompanhará a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Alvorada.

Diário Oficial da União com a publicação dos nomes da equipe que acompanhará a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Alvorada.

No mesmo dia em que o Senado aprovou a admissibilidade da abertura do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o Diário Oficial da União traz a nomeação da equipe que acompanhará a presidenta até a conclusão do processo. Dilma terá que se afastar do cargo por até 180 dias para se defender das acusações de crime de responsabilidade fiscal, Durante o afastamento, o Senado vai elaborar um novo parecer sobre as denúncias contra a petista, debater o documento e votá-lo.

Ex-assessor especial de Dilma, Giles Azevedo foi exonerado da função para assumir a secretaria executiva do Gabinete Pessoal da presidenta. Sob seu comando estarão os 14 assessores especiais nomeados hoje (12/05/2016) para auxiliar Dilma a montar sua defesa.

Sandra Márcia Chagas Brandão exercerá o cargo de chefe do gabinete adjunto de Gestão e Atendimento, no qual será assessorada por Cleonice Maria Campos Dorneles, também nomeada hoje.

A equipe também será integrada pelo ex-subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Jorge Rodrigo Araújo Messias, pelo jornalista Olímpio Antônio Brasil Cruz e pelo fotógrafo Ricardo Stuckert Filho. Os outros assessores especiais nomeados são Daisy Aparecida Barretta, Elisa Smaneoto, Mario Marona e Paula Zagotta de Oliveira.

Katia Amorim Soares Lima ocupará o cargo de assistente no gabinete adjunto, no qual também estarão lotados Maria de Fátima Gouveia Maciel, Telma Rejane Lima Lopes, Michelle Ikeda Constantino da Silva e Wagner Caetano.

José Eduardo Cardozo diz que vai continuar defendendo Dilma Rousseff em impeachment

O ex-ministro da Advocacia-Geral da União, José Eduardo Cardozo, disse hoje (12) que vai continuar como advogado no processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff. Ele deu a declaração no Palácio do Planalto após afastamento de Dilma do cargo.

“O Conselho de Ética da Presidência da República disse que tem uma quarentena, mas que na causa específica relativa ao impeachment da presidenta Dilma Rousseff não haveria nenhum conflito para que eu pudesse continuar, não só para não prejudicar a defesa, mas como também é uma situação em que eu já atuava como advogado dela. Houve uma liberação específica para esta causa: atuar no caso do impeachment”, afirmou Cardozo, que vai comandar uma equipe de advogados na defesa de Dilma.

De acordo com a regra, os ministros exonerados devem cumprir uma quarentena de 180 dias e eles não podem exercer outros empregos, porque são considerados pessoas com informações estratégicas para o país.

O Senado aprovou, no início da manhã, por 55 votos a favor e 22 contra, a admissibilidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Com isso, o processo será aberto no Senado e Dilma será afastada do cargo por até 180 dias, a partir da notificação. Os senadores votaram no painel eletrônico. Não houve abstenções. Estavam presentes 78 parlamentares, mas 77 votaram, já que o presidente da Casa, Renan Calheiros, optou por não votar.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br