Lançado pelo Hemoba, concurso de cordel estimula doação de sangue

O cordelista Antônio Ribeiro da Conceição (Bule-Bule) apoia o I Concurso Cultural ‘Cordel da Doação’.

O cordelista Antônio Ribeiro da Conceição (Bule-Bule) apoia o I Concurso Cultural ‘Cordel da Doação’.

‘Os cordelistas baianos deverão participar/Motivando os conterrâneos para aprenderem a doar/Se sangue é vida doe vida pra vida não acabar’. Essa é uma das estrofes de um poema popular criado pelo cordelista Antônio Ribeiro da Conceição, mais conhecido pelo pseudônimo Bule Bule, um dos apoiadores do I Concurso Cultural Cordel da Doação, organizado pela Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba), unidade da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab).

Até a próxima terça-feira (31/05/2016), quem se preocupa com a saúde do próximo tem a chance de participar da iniciativa, que estimula a doação de sangue por meio da literatura. “A palavra de ordem é compromisso. Quem tem compromisso com a vida sabe que precisa atuar com protagonismo para ajudar as pessoas. Através do meu cordel, quero estimular as pessoas a assumirem esta causa, que é muito importante”, afirma o artista baiano.

O concurso foi criado para aumentar o armazenamento de sangue no período junino, época do ano em que a utilização aumenta cerca de 20%. De acordo com o diretor da Hemoba, Marinho Marques da Silva Neto, em média, a Bahia coleta por mês nove mil bolsas de sangue, quantidade insuficiente para garantir uma reserva segura. “Neste período, assim como no Carnaval e nas festas de final de ano, a movimentação de pessoas cresce muito. Muita gente viajando e se aglomerando em espaços públicos aumenta o risco de acidentes. Por isso, a Fundação Hemoba precisa estar preparada para lidar com essas situações”.

Como participar

Para participar do concurso é necessário ser pessoa física residente na Bahia. Não há restrição de idade ou gênero. Além disso, o conteúdo dos cordéis deve estimular a doação de sangue em um contexto que envolva Dia dos Namorados, Festa Junina e Dia Mundial do Doador. A inscrição deve ser feita pelo email cordel@hemoba.ba.gov.br, sendo o assunto da mensagem identificado com a palavra cordel.

Também é preciso informar o nome completo, idade, endereço e telefone de contato. Mais informações estão no regulamento, disponível no site da Fundação Hemoba. Os vencedores terão o cordel publicado na rede social da Hemoba e também impresso, além de ganhar uma cesta junina e uma camisa da instituição.

Onde doar

“Há dois anos, meu irmão sofreu um acidente e eu precisei doar. Desde então, passei a ser doador. Sei, na prática, como é importante o ato para a vida das pessoas”, afirma o comerciário Carlos Alberto Reis. Para ser, a exemplo de Carlos, um doador voluntário e cadastrado na rede Hemoba, não é difícil.

O candidato deve ter idade entre 16 e 69 anos, apresentar documento oficial com foto, pesar mais de 50 quilos, estar descansado (ter dormido pelo menos seis horas na noite anterior), não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores e evitar comidas gordurosas nas quatro horas que antecedem a doação.

A localização também não é problema. Em Salvador, os voluntários podem comparecer ao Hemocentro Coordenador, localizado na Ladeira do Hospital Geral do Estado (HGE), na Avenida Vasco da Gama. A unidade funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30, e aos sábados, das 7h30 às 12h30.

Os voluntários têm também a opção de doar sangue nas unidades móveis – o roteiro é divulgado semanalmente no site da Fundação Hemoba e na página do Facebook. Outros locais de coleta são o Hospital do Subúrbio, de segunda a sexta, das 7h30 às 12h e das 13h às 16h30; e o Hospital Santo Antônio, nos mesmos dias, das 7h10 às 11h30 e das 13 às 16h.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br