Igreja católica usa mídias sociais para atrair fiéis

Papa Francisco tem usado intensamente as mídias sociais, com a finalidade de se comunicar com os fiéis.

Papa Francisco tem usado intensamente as mídias sociais, com a finalidade de se comunicar com os fiéis.

Enquanto público das igrejas diminui na Europa, fiéis tentam atrair jovens através de portais como Twitter e Facebook. Tradicional evento católico alemão inova, com estratégia de divulgação baseada na internet.

Nesta semana, a Igreja Católica alemã está reunindo seus membros, clero e leigos, para um encontro tradicional de fiéis de toda a Europa. O Katholikentag (dia dos católicos) é realizado em Leipzig, no leste da Alemanha, e reúne milhares de pessoas.

No entanto, enquanto o número de fiéis diminui continuamente por toda a Europa, uma divisão ideológica crescente se desenvolve entre os jovens modernos e a doutrina eclesiástica sobre as questões como direitos dos homossexuais, contracepção, ou, na Alemanha, o muitas vezes impopular imposto eclesiástico.

Agora, a Igreja está tentando uma nova conexão com seu rebanho, através do uso das mídias sociais.

O Katholikentag não só mantém contas no Facebook, Twitter, Google Plus, Youtube e Instagram, mas dá um passo além para sua edição deste ano. “Para nos aproximarmos dos jovens, recrutamos 25 estagiários de jornalismo, com idades entre 18 e 26 anos, dando a eles praticamente as chaves de nossas várias contas em plataformas de mídia social”, explica Jans Albers, do departamento de mídia social do Katholikentag.

O grupo de estudantes usou Facebook Live para transmitir ao vivo alguns dos eventos e publicou vídeos da equipe nos canais de mídia social. “Nós apenas dissemos a eles para serem criativos”, disse Albers, sublinhando que não foram dadas quaisquer instruções claras aos estagiários.

Orações online

Mas os católicos alemães não são os únicos a transformarem a internet em plataforma para promover sua fé. Twitter, aquela ferramenta ideal para frases curtas, pode servir também para orações cristãs.

Na Alemanha, várias contas transmitem sessões diárias de orações durante o dia, unindo os cristãos de todas as denominações. Outros se juntam encaminhando os tuítes, “curtindo” ou respondendo às postagens originais.

Facebook e Twitter não são os únicos lugares onde os cristãos difundem sua fé. Existem também aplicativos e sites que ajudam os devotos a viverem sua crença. Alguns, como o alemão amen.de, permitem a seus usuários a orar uns pelos outros, ou pedir a outros para orarem por uma determinada causa. Mais tarde, eles compartilham com a comunidade de usuários informações sobre se as preces surtiram efeito ou não. O serviço funciona através de uma página na internet e está disponível também como aplicativo para smartphone.Fora da Alemanha, o aplicativo Novenas repete a mesma oração por nove dias, oferecendo uma variedade de serviços para os fiéis, incluindo listas de preces, lembretes para horas de oração e datas religiosas importantes.

O site Amen.de afirma ter 1,3 milhão de pessoas inscritas em sua plataforma desde que o serviço foi lançado, em 2013. Já o Novenas tem comentários elogiosos no Google Play Store, onde foi baixado entre 50 mil e 100 mil vezes no último ano.

Já o Katholikentag tem uma audiência muito menor, de apenas 7.500 seguidores no Facebook, por exemplo. Esse evento católico ocorre apenas uma vez a cada dois anos. Instituições católicas permanentes, e o próprio papa Francisco, já perceberam o potencial da mídia social. E se o número de internautas seguidores do pontífice – 9,3 milhões no Twitter e 2,4 milhões no Instagram – puder servir de inspiração, os católicos alemães podem estar indo no caminho certo.

*Com informações do DW.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br