Festas juninas são destaques do Calendário Nacional de Eventos Turísticos do Ministério do Turismo

Festas juninas são destaques do Calendário Nacional de Eventos.

Festas juninas são destaques do Calendário Nacional de Eventos.

O São João é o festejo popular mais comemorado pelos brasileiros depois do Carnaval. As celebrações em homenagem à Santo Antônio, São Pedro e o próprio São João movimentam o calendário a partir de maio e tem seu ápice no mês de junho, encerrando em agosto. Do total de mil eventos cadastrados no Calendário Nacional de Eventos Turísticos, do Ministério do Turismo, 54 são dedicados à festa que combina religiosidade popular, comidas típicas, danças típicas e muita música regional, movimentando o turismo brasileiro.

O Nordeste é a região que concentra o maior número de festas e as maiores atrações do período. Entre os grandes eventos que abrangem praticamente todo o mês de junho – de 4 a 26 – estão as festas de Caruaru (PE), Campina Grande (PB) e Mossoró (RN). Todas as capitais da região comemoram o São João com shows populares, além dos tradicionais arraiás, nos bairros, e os festivais de quadrilhas juninas.

“O São João é uma manifestação cultural com um grande potencial turístico para atrair visitantes brasileiros e estrangeiros interessados em conhecer melhor as tradições das festas juninas. Para isso estamos trabalhando para fortalecer esses festejos como produtos turístico e prova disso é a inclusão deles no Calendário Nacional de Eventos”, afirmou o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves.

Campina Grande (PB) e Caruaru (PE) disputam o título de quem faz o maior e melhor São João do Mundo e atraem multidões ao longo do mês de junho. São shows e atrações que vão dos ícones da cultura local aos grandes nomes da música nacional. Ainda no Nordeste, os festejos de São de São Luis (MA) também se destacam pelo rufar dos tambores e diferentes sotaques da música local em uma celebração que mistura festa junina com Boi-Bumbá.

Em Mossoró (RN) o espetáculo Chuva de Bala no Pais de Mossoró dá um toque especial à festa. Ao longo da programação junina, a cidade libertária revive o dia 13 de junho de 1927 (dia de Santo Antônio), quando até as torres das igrejas serviram de trincheiras para enfrentar o bando de Lampião que experimentou na ocasião sua primeira derrota após a própria população ter resistido armada contra o bando do cangaceiro.

Nas demais regiões, as festas juninas adquirem características locais como o Forrozão Marajoara e Salvaterra na Roça (PA), Arraiá Caiçara (SP), Arraial Anaua e Macuxi (RR), ou ainda o São João do Cerrado (DF) e o Banho de São João de Corumbá (MS), que termina com a condução da imagem do santo até o Rio Paraguai.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br