Feira de Santana: vereador David Neto comenta sobre limite de áreas e aterramento da Lagoa do Subaé

David Neto: Tenho certeza de que a promotora Luciana Machado, junto ao Ministério Público, irá comprar esta briga e interditar aquela obra.

David Neto: Tenho certeza de que a promotora Luciana Machado, junto ao Ministério Público, irá comprar esta briga e interditar aquela obra.

“Ontem falei aqui de um condutor mentiroso, mas queria dizer que o mentiroso é o agente de trânsito. Falei também que a culpa era da SMTT, mas queria me referir à SMT, porque a SMTT tem à frente um homem digno e de ouro, que é o coronel Boaventura. Ele sim é digno daquele cargo, ajuda pessoas dentro da legalidade e possibilidade. Parabéns mais uma vez a ele”, retratou-se David Neto.

Em seguida, o edil falou sobre os benéficos levados à localidade CIS-Tomba pelo Município. “Venho numa luta constante por aquela localidade. Na legislatura passada tinha aqui o vereador Marialvo e lutamos juntos, fizemos muitos projetos de lei para aquele local e continuo no apoio ao prefeito José Ronaldo, que cedeu o PSF do Fraternidade para atender aos moradores do CIS-Tomba, assim como mandou um carro para coleta de lixo, só não chegou ainda a pavimentação”, ressaltou.

Delimitação

Ainda no uso da tribuna, David tratou sobre a delimitação de território que divide as cidades de Feira de Santana e São Gonçalo dos Campos. Para ele, essa é uma luta antiga e basta apenas o esforço dos deputados estaduais para que o problema seja solucionado.

“Acredito que esta Casa deveria mandar vereadores, fazer ofício ou uma ligação para entrar em contato com os deputados estaduais que têm compromisso com Feira de Santana, para resolverem isso. Quando houve audiência pública para debater essa limitação, teve deputado que não compareceu. Zé Neto, que é ligado ao governador, pode muito bem deixar o desgaste de lado e resolver essa questão. Temos o representante da IURD, José de Arimatéia; Carlos Geilson, eleito e tem responsabilidade de representar Feira; o deputado Targino Machado. Precisa acabar com essa celeuma e dizer aqui que a área é de Feira. Estamos dependendo, exclusivamente, dos deputados, e esta Casa deveria chamar a atenção deles”, pontuou.

Em aparte, o oposicionista Edvaldo Lima (PP) parabenizou o discurso de David Neto e pediu desculpas ao colega por não ter citado seu nome, quando tratou do mesmo assunto na tribuna. “Sei que também está nesta guerra, tentando ajudar. Sei do seu trabalho nessa questão. Desde já, peço ao presidente que permita que eu e o vereador David Neto possamos ir à Assembleia Legislativa tentar solucionar esse problema”, pediu.

Também em aparte, o líder do Governo na Casa, vereador José Carneiro (PSDB), fez uma observação. “Na audiência realizada nesta Casa, para tratar deste assunto, o ex-deputado, na época presidente da Comissão de Divisão Territorial da ALBA, que hoje faz parte do Tribunal de Contas do Município, não participou. E, na verdade, a Comissão é responsável por essa questão”, lembrou.

De volta com a palavra, David afirmou que a Câmara pode realizar audiência pública, mas não tem poder de decisão. “Quem tem o poder de decisão é a Assembleia”, salientou.

Também participando do debate, o edil Wellington Andrade (PSDB) informou que entrou em contato com o deputado estadual Carlos Geilson e este se comprometeu a ajudar a solucionar a questão. “E me garantiu que amanhã irá falar sobre o assunto na Assembleia e, evidentemente, nós, como vereadores da base governista, também temos que ajudar”, pontuou.

O vereador Roque Pereira (DEM) também debateu a questão e lembrou que alguns vereadores já estiveram na ALBA e que na ocasião a deputada Eliana Boaventura garantiu que o problema estava resolvido. “Mas, não sei o que aconteceu que este caso ainda não teve um desfecho. Quanto ao deputado Zé Neto, ele está sem força. Prova disso foi o lançamento de sua pré-candidatura a prefeito de Feira, que não contou com a presença do governador”, disse.

Lagoa Subaé

Na sequência, David levou à tribuna outro assunto: o aterramento da Lagoa do Subaé. Ele acredita que o Ministério Público irá intervir na questão e impedir que as obras no local continuem. “Tenho certeza de que a promotora Luciana Machado, junto ao Ministério Público, irá comprar esta briga e interditar aquela obra. Quando ela ver o que está acontecendo não irá se opor. Ontem vimos a olho nu o desleixo da Secretaria de Meio Ambiente em relação aquela lagoa. A do Prato Raso já foi aterrada e daqui a alguns dias Feira não terá mais lagoas”, finalizou.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br